IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Guia de Economia


Peso argentino: onde comprar e vender, como pesquisar preços e outras dicas

Marcos Brindicci/Reuters
Imagem: Marcos Brindicci/Reuters

2019-01-23T15:37:14

23/01/2019 15h37

A história da moeda da Argentina tem quase 200 anos. Antes de ser chamada de peso, ela teve outros cinco nomes.

Saiba mais sobre o peso argentino, sua cotação em relação ao real e como funciona a compra e venda da moeda.

Que moeda é melhor levar para a Argentina?

Para quem vai viajar para países cuja moeda original é fraca em comparação ao dólar, a recomendação básica é sempre levar uma moeda forte, como dólar ou euro, porque as taxas de câmbio de moedas fracas no Brasil sempre são desvantajosas em comparação ao câmbio no país de destino. 

Além da Argentina, isso vale para quem vai para outros países da América Latina, como Chile, Peru e México, para a Rússia, China, ou para países do sudeste asiático, como a Tailândia.

Para quem vai à Argentina, especialistas recomendam levar dólar. Ou seja: compre dólar no Brasil e, chegando ao destino, troque-os pela moeda local, tomando cuidado com notas falsas. Também é possível pagar em dólares em boa parte da Argentina: a moeda é muito aceita no comércio, inclusive com taxas mais convidativas do que nas casas de câmbio. 

Outra recomendação é levar boa parte do dinheiro em espécie, mas não deixar de carregar também o cartão pré-pago ou o cartão de crédito, por questões de segurança.

Quem pode vender e comprar moedas estrangeiras?

Bancos, corretoras, agências de turismo e hotéis podem comprar e vender libra no Brasil. A lista de agentes autorizados pode ser consultada no site do Banco Central.

Como se define a taxa de câmbio?

A taxa de câmbio é flexível desde 1999. Isso significa que ela é negociada livremente por quem compra e quem vende moedas estrangeiras no país. 

Vou viajar. Como posso comprar moeda estrangeira? 

A moeda pode ser comprada em papel, traveller's check (um cheque registrado por emissores autorizados) ou cartão de débito. Se tiver um cartão de crédito internacional, o turista pode usá-lo para fazer compras no exterior.

Onde é mais barato comprar moeda estrangeira? 

Geralmente, quem compra moeda estrangeira no banco do qual é correntista paga taxas menores. Quem deixa para comprar no aeroporto, pouco antes de embarcar, paga mais.

Alguns sites e aplicativos buscam a melhor cotação tanto para compra de dinheiro vivo (moeda em espécie) como de cartão pré-pago, e ajudam a comprar moeda estrangeira mais barata. Algumas ferramentas permitem, inclusive, fechar o negócio na hora, com segurança, e ainda receber o dinheiro em casa. 

Leia também: Sites e apps ajudam a comprar moeda estrangeira mais barata

Devo considerar a taxa de compra ou de venda? 

A taxa de venda é o preço cobrado pela instituição, como o banco ou a casa de câmbio, para vender a moeda estrangeira. A taxa de compra é o preço que a instituição paga quando compra a moeda. 

Ou seja: ao comprar peso argentino para viajar, por exemplo, o consumidor vai pagar a taxa de venda (o valor pelo qual o banco vende aquela moeda).

Por que a cotação que pago é diferente daquelas divulgadas pelos meios de comunicação? 

Os meios de comunicação divulgam cotações cobradas na venda de moeda para viagem e em transações comerciais, mas as instituições cobram, em cima desses valores, uma taxa pelo serviço.

Leia também: Por que o dólar que eu compro é sempre mais caro?

Uma mesma corretora pode cobrar cotações diferentes? 

Sim. Como o câmbio é livre no país, a corretora pode cobrar uma cotação para venda por telefone, outra pela internet e outra em loja física, por exemplo. Também pode oferecer uma cotação melhor para um cliente que for comprar uma quantidade maior de moeda.

Que impostos são cobrados na compra de moeda estrangeira? 

Quem compra peso argentino, carrega um cartão de débito ou faz pagamentos no cartão de crédito nessa moeda, no exterior ou via internet, precisa pagar IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre o valor. A alíquota varia de acordo com a forma de compra:

  • Dinheiro vivo: o IOF é de 1,1% sobre o valor total da moeda comprada 
  • Cartão de débito: o IOF é de 6,38% sobre o valor total com que o cartão foi carregado 
  • Cartão de crédito: o valor da compra em pesos argentinos é convertido para dólar, e o IOF é de 6,38% sobre o valor da compra em dólares.

Leia também: Deixou para comprar moeda na última hora? Dica de IOF ajuda

Voltei de viagem e trouxe pesos argentinos comigo. Posso guardá-las em casa? 

Sim. Quem viaja e traz pesos argentinos de volta, porém, precisa declarar esse valor no Imposto de Renda, na ficha "Bens e Direitos".

Fiz uma compra no exterior com cartão de crédito. Que cotação vou pagar?

Os gastos feitos em pesos argentinos no cartão de crédito são primeiro convertidos para dólar e, depois, para reais. 

Atualmente, o mais comum é os bancos usarem o câmbio da data de fechamento da fatura, mas isso pode variar de uma instituição para outra. É preciso consultar o contrato do seu cartão de crédito.

A partir de 1º de março de 2020, para gastos no cartão de crédito no exterior, a cotação do dólar usada será a do dia em que a compra foi feita.

SAIBA MAIS SOBRE A MOEDA

É a moeda oficial de onde?

O peso é a moeda oficial da Argentina. 

Qual a história do peso argentino?

As primeiras notas de peso começaram a circular na Argentina em 1822, ano em que o Banco de Buenos Aires, hoje conhecido como Banco Provincia, foi inaugurado. Os bilhetes, na época, eram chamados de peso moneda corriente, segundo a Câmara Argentina de Comércio e Serviços.

Desde então, o dinheiro do país vizinho ganhou vários nomes, a exemplo de peso fuerte, peso moneda nacional, peso ley, peso argentino e austral.

Em 1992, durante a presidência de Carlos Menem, a moeda ganhou a denominação de peso, que dura até hoje.

O peso argentino é usado por quantas pessoas?

O peso é utilizado pelos cerca de 45 milhões de habitantes da Argentina.

Quanto está em circulação?

De acordo com o Banco Central da Argentina, há 68.618.450.000 pesos argentinos em circulação (dado de 18 de dezembro de 2018). 

Por que o peso tem esse nome?

O termo "peso" era usado no período do Império Espanhol para designar a moeda da época. Por isso, muitos países colonizados pela Espanha, como Argentina, México, Peru e Chile, passaram a usar a palavra. 

Qual é o símbolo do peso?

O símbolo do peso é $. Já o ISO 4217, padrão criado pela International Organization for Standardization (Organização Internacional de Padronização) para designar as moedas correntes, é ARS. 

Como se divide o peso?

Um peso é dividido em 100 centavos. Há moedas de 1, 5, 10, 25 e 50 centavos, além das de 1, 2 e 5 pesos.

Há notas de 5, 10, 20, 50, 100, 200, 500 e 1.000 pesos.

Fontes: Câmara Argentina de Comércio e Serviços, Banco Central da Argentina, Museo Banco Provincia, Mathias Fischer, fundador da plataforma de compra de moedas Meu Câmbio, Celso Grisi, professor de Economia da FIA, Ricardo Rocha, professor de Finanças do Insper, Felipe Pellegrini, gerente da Confidence Câmbio.

(Reportagem de Lucas Marins, colaboração para o UOL, em Curitiba)

Mais Guia de Economia