IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Moody's rebaixa crédito da Ford a categoria 'lixo'

09/09/2019 19h24

Nova York, 9 Set 2019 (AFP) - A agência Moody's anunciou nesta segunda-feira que rebaixou a classificação do crédito da Ford para especulativo, ou "lixo", devido à debilidade financeira da companhia, que passa por uma reestruturação.

A classificadora de risco disse que rebaixou a nota da Ford para "Ba1" após levar em conta as perspectivas fracas de fluxo de caixa e margens de lucro no período 2020/2021, além de considerar que os planos da empresa são "espantosamente grandes e desafiadores".

O desempenho da Ford piorou "em um período no qual as condições globais do mercado automotivo foram bastante saudáveis", informou a Moody's.

"Agora, a Ford enfrenta os desafios de resolver esses problemas operacionais enquanto a demanda nos principais mercados está se debilitando e quando a indústria do automóvel atravessa mudanças em um ritmo sem precedentes, relativas aos veículos elétricos, direção autônoma, viagens compartilhadas e regulamentações crescentes contra emissões" de gases poluentes, afirmou a classificadora.

A gigante americana dos automóveis enfrenta ineficiências operacionais em todos os mercados cruciais e debilitadas perspectivas na China.

A Ford avançou na redução de seus custos no gigante asiático. Contudo, o horizonte está desafiador, devido a um "mercado cada vez mais competitivo".

A agência também duvida da capacidade de reestruturar as operações na América do Sul e na Europa no prazo que a Ford estabeleceu.

"A extensão dessa reestruturação é enorme e difícil, (...) pelo menos até 2023", estima a Moody's.

Após o comunicado da Moody's, as ações da Ford caíram 2,9% nas transações após o fechamento de Wall Street.

jmb/dg/gm/gv/ll

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia