Petróleo fecha em queda de mais de 5%

O petróleo fechou em queda de mais de 5% nesta quarta-feira (4), arrastado pelos números das reservas nos Estados Unidos e por temores de um enfraquecimento na demanda de petróleo cru.

Em Nova York, o preço do barril de WTI para entrega em novembro caiu 5,61%, a 84,22 dólares.

Enquanto isso, em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte recuou 5,62% a 85,81 dólares.

As duas variantes de petróleo de referência no mercado registraram os níveis mais baixos em um mês.

Esta queda se deveu ao relatório semanal da Agência de Informação sobre Energia (EIA) dos Estados Unidos, que registrou os menores volumes de entrega de gasolina no país em 25 anos para esta época do ano.

Esta sacudida do que os operadores chamam de demanda implícita também explica a disparada das reservas de gasolina no país, que aumentaram em 6,5 milhões de barris (mb) na semana encerrada em 29 de setembro. Os analistas esperavam que se mantivessem estáveis.

"Esperemos para ver os números da próxima semana" para falar de tendência, relativizou Phil Flynn, da Price Futures Group.

Além disso, "os juros dos títulos (do Tesouro americano) subiram brutalmente" e "os consumidores têm mais dificuldades" para sustentar suas compras neste ambiente, acrescentou o analista.

"Os preços do [petróleo] cru sofrem em cheio [o impacto de] os temores de uma desaceleração econômica mundial, apesar das reduções de produção prometidas por Riade e Moscou até o fim do ano", explicou José Torres, da Interactive Brokers, em alusão aos anúncios da Arábia Saudita e da Rússia de cortar seus volumes de produção em 1,3 mb diários.

Continua após a publicidade

Nesta quarta-feira, a reunião ministerial da Opep e seus aliados na Opep+ recomendou manter os níveis atuais de produção.

tu/pta/mr/mvv/dd/ic

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes