Bolsas

Câmbio

Vaio perto de acordo com Toshiba e Fujitsu para formar gigante japonesa de microcomputadores

Pavel Alpeyev e Takashi Amano

(Bloomberg) - A Vaio, a fabricante de microcomputadores que foi desmembrada da Sony em 2014, está próxima de acertar uma fusão tripla para criar uma empresa com potencial para dominar o Japão e suportar o encolhimento do mercado global de microcomputadores.

A Vaio espera chegar a um acordo que junte a empresa com as divisões de microcomputadores da Toshiba e da Fujitsu até o fim de março, disse Hidemi Moue, presidente do Japan Industrial Partners, o fundo de aquisições que hoje controla o antigo braço da Sony.

A intenção da Vaio é ser dona da maior participação da empresa combinada, em uma transação que pode ajudar o trio a economizar em pesquisa e desenvolvimento e a ampliar a escala de produção, disse ele.

A fusão proposta espelha a consolidação das fabricantes de monitores e semicondutores do Japão, após décadas de estagnação e perda de competitividade terem empurrado essas empresas antes famosas para a periferia do setor.

Em especial, a prevalência de smartphones e tablets pressiona as fabricantes de microcomputadores e o volume vendido globalmente em 2015 foi o menor desde a crise financeira.

"O mercado de microcomputadores está encolhendo, o que significa que existe mérito em trabalhar em conjunto para tirar o máximo proveito de pesquisa, volumes de produção e canais de marketing", disse Moue, cujo fundo é especializado em reestruturação de empresas. "Podemos fazer isso com o mínimo de canibalização".

Tempos sombrios

As ações da Toshiba deram um salto de 8,2% e fecharam o pregão cotadas em 174,7 ienes, marcando a maior valorização em quase cinco anos. Os papéis da Fujitsu registraram alta de 2,5%. A Vaio não tem ações listadas em bolsa.

O potencial empreendimento focaria no mercado doméstico e no negócio central de fabricação de microcomputadores, informou Moue.

Apostar em mercados no exterior com outras formas de equipamentos continua sendo uma possibilidade, em vista do lançamento recente pela Vaio de um smartphone Windows 10 e de planos de desenvolver um robô que atue como companheiro, disse ele.

A união "faz sentido se a ideia for construir uma base de nicho de consumidores no Japão", afirmou Damian Thong, analista da Macquarie Group em Tóquio.

"Essa abordagem de fusão de três fabricantes japonesas de microcomputadores provavelmente terá pouca chance de sucesso fora do país".

A participação no mercado global da Vaio, da Toshiba e da Fujitsu diminuiu, enquanto a Lenovo Group, a HP e a Dell ganham cada vez mais presença.

Até as líderes estão penando, uma vez que as vendas de microcomputadores caíram 10% no ano passado, ficando abaixo de 300 milhões de unidades pela primeira vez desde 2008, segundo a firma de pesquisas IDC. A expectativa é que o mercado encolha também ao longo de 2016.

Retomando o Japão

Os micros produzidos por Vaio, Toshiba e Fujitsu perderam espaço até dentro de casa. A operação combinada teria aproximadamente um terço do mercado japonês, disputando a primeira posição com uma joint venture entre a Lenovo e a japonesa NEC Corp.

A NEC Lenovo foi responsável por cerca de 29% das vendas de microcomputadores no Japão entre julho e setembro, de acordo com a IDC.

Fujitsu e Toshiba foram a segunda e terceira colocadas, com 17% e 12% do mercado, respectivamente, enquanto a Vaio não divulga os números de vendas.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos