PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Dona da Zara reduz planos de expansão de lojas e prioriza comércio virtual

Reprodução
Imagem: Reprodução

Rodrigo Orihuela

09/03/2016 13h08

(Bloomberg) - A Inditex, maior loja de roupas do mundo, refreou os planos de expandir as lojas porque a proprietária da Zara está se aprofundando mais nas compras virtuais como forma de impulsionar o crescimento das vendas.

A empresa espanhola de varejo visa a aumentar de 6% a 8% seu espaço comercial nos próximos anos, menos que a meta anterior de 8% a 10%, disse a Inditex na quarta-feira. Os analistas aplaudiram a mudança porque os consumidores virtuais costumam gastar mais e a ação da empresa chegou a subir 4,2%.

"A Inditex fez a escolha certa", escreveu Jamie Merriman, analista da Sanford C. Bernstein. "Talvez isso surpreenda alguns investidores, considerando o forte desempenho das vendas, mas acreditamos que a Inditex é claramente capaz de aumentar sua fatia no mercado com o comércio eletrônico, uma abordagem com um uso menos intensivo de capital".

Desde que abriu o capital em 2001, a Inditex multiplicou as vendas por mais de seis através da expansão agressiva de suas oito redes. Dois terços de suas 7.000 lojas abriram ou foram reformadas nos últimos três anos. A Inditex agora está desacelerando com as lojas físicas. A operadora da rede Bershka também informou o crescimento anual dos lucros mais acelerado em três anos.

A Inditex, que tem o melhor desempenho no Euro Stoxx 50 Index desde sua abertura de capital, registrava uma alta de 3,9%, para 30,55 euros, até as 12h40, em Madri (Espanha) nesta quarta-feira (9). O aumento de 10 vezes das ações desde que o fundador Amancio Ortega abriu o capital há 15 anos conferiu a ele um patrimônio líquido de US$ 69,4 bilhões que o tornou mais rico que Warren Buffett, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index.

Expansão virtual

A expansão virtual vai compensar a redução do crescimento espacial, disse o CEO Pablo Isla em uma teleconferência. As oito marcas terão lojas virtuais em toda a União Europeia e na Turquia até o fim deste ano. A Inditex encerrou 2015 com operações online em 27 mercados e pretende entrar em Taiwan, Hong Kong e Macau em 2016.

Os consumidores que compram pela internet recorrem às lojas físicas para realizar dois terços das devoluções, o que estimula compras adicionais, disse Isla, acrescentando que a maioria das devoluções de produtos se deve à troca de tamanhos.

A operadora das redes Massimo Dutti e Bershka disse que a receita aumentou 15% no início deste trimestre em uma base ajustada, mantendo a taxa de crescimento do ano passado.

"O comércio atual é uma boa notícia", disse Anne Critchlow, analista do Société Générale em Londres, que estima que as vendas de lojas comparáveis no segundo semestre tenham aumentado 10% em um período em que um inverno mais suave na Europa prejudicou o crescimento da Hennes Mauritz. "Mesmo em circunstâncias favoráveis esse seria um grande feito. Existe um contraste gritante entre a Inditex e muitas das outras lojas que acompanhamos".

A Inditex vem diminuindo os preços dos produtos para ajudar a estimular as vendas. No Reino Unido, a Zara reduziu em 17% os preços de produtos de alta gama e em 36% os preços de produtos mais baratos no período de 18 meses até novembro, de acordo com o Credit Suisse.

Empreendedores apostam em lojas virtuais

Band Notí­cias