Bolsas

Câmbio

Usinas da Duke na AL atraem interesse de China e Canadá, dizem fontes

Vinicy Chan e Scott Deveau

(Bloomberg) -- A Brookfield Asset Management, maior gestora de ativos alternativos do Canadá, e a China Three Gorges estão entre as empresas que estudam ofertas pelas usinas de energia latino-americanas da Duke Energy, disseram pessoas informadas sobre o assunto.

A geradora de eletricidade estatal chinesa State Power Investment também avalia apresentar proposta pelos ativos, segundo as pessoas. A venda poderia chegar a mais de US$ 2 bilhões, disseram as pessoas, pedindo anonimato porque a informação é privada.

A Duke Energy, segunda maior proprietária de usinas de energia dos EUA em valor de mercado, disse em fevereiro que está avaliando a venda de cerca de 4.400 megawatts em capacidade de geração nas Américas Central e do Sul. Metade dos ativos está no Brasil, onde a seca e a crise econômica prejudicaram os resultados da Duke Energy no ano passado, e o restante na Argentina, no Chile, no Equador, em El Salvador, na Guatemala e no Peru. As usinas hidrelétricas respondem por cerca de dois terços do portfólio, segundo o comunicado de fevereiro.

As condições econômicas ruins na América do Sul estão levando a Duke e suas concorrentes a analisarem a venda de ativos. A geradora de energia norte-americana AES fechou neste mês a venda de uma empresa de energia no país à CPFL Energia por US$ 464 milhões.

As ações da Duke permaneciam inalteradas em US$ 82,00 no fechamento do pregão desta terça-feira em Nova York. As ações subiram cerca de 15 por cento neste ano.

"Nós dissemos que estamos trabalhando com as partes interessadas agora e esse processo continua", disse Tom Williams, porta-voz da Duke Energy, na terça-feira, por e-mail, preferindo não fazer mais comentários.

Um representante da Brookfield preferiu não comentar. A China Three Gorges e a State Power Investment não responderam imediatamente às perguntas enviadas por fax em busca de comentário.

A NextEra Energy é a maior proprietária de usinas de energia dos EUA, com um valor de mercado de US$ 57,3 bilhões, segundo dados compilados pela Bloomberg. A Duke é a segunda, avaliada em US$ 56,5 bilhões.

As empresas da China anunciaram pelo menos US$ 5,1 bilhões em aquisições de energia alternativa no exterior nos últimos 12 meses, segundo dados compilados pela Bloomberg. A State Power Investment comprou a produtora de energia renovável australiana Pacific Hydro em janeiro, ganhando ativos na Austrália, no Brasil e no Chile.

A Brookfield também tem estado ativa no mercado de energia da América do Sul. Atualmente, a empresa lidera um consórcio que busca comprar uma participação de 81 por cento em uma rede de dutos de gás natural da Petrobras no Brasil avaliada em cerca de US$ 6 bilhões, segundo pessoas informadas sobre o assunto.

A Brookfield também fechou acordo para a compra de uma participação majoritária na empresa de geração de energia colombiana Isagen por aproximadamente US$ 2 bilhões por meio de uma de suas subsidiárias, no início deste ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos