Bolsas

Câmbio

Dúvidas e pessimismo crescem com limite à produção de petróleo

Mark Shenk

(Bloomberg) -- Quanto mais a Opep e os outros produtores falam a respeito de um teto para a produção de petróleo, mais crescem as dúvidas no mercado.

Os gestores de recursos realizaram o maior aumento em três meses nas apostas de queda dos preços depois que a reunião entre a Rússia e a Arábia Saudita terminou sem ações específicas de apoio aos preços. Os produtores prometeram discutir medidas em Argel no fim deste mês.

"Quanto mais eles falam, menos as pessoas escutam", disse Michael D. Cohen, analista do Barclays em Nova York. "Observando as declarações dos sauditas, vê-se que não há muito entusiasmo. Eles estão dizendo que não acreditam na necessidade de uma intervenção substancial no momento ou que se os outros produtores quiserem um congelamento, eles acompanharão".

O ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid Al-Falih, disse em 5 de setembro estar otimista de que os produtores concordarão em cooperar em Argel. Ele falou a respeito após se reunir com seu colega russo, Alexander Novak, na cúpula do G-20, na China. Novak disse que o congelamento da produção pela Opep e pela Rússia seria a forma mais efetiva de estabilizar o mercado.

O Fórum Internacional de Energia, que inclui 73 países que respondem por mais de 90 por cento da oferta e da demanda globais por petróleo e gás natural, será realizado na capital da Argélia de 26 a 28 de setembro. A Organização dos Países Exportadores de Petróleo manterá conversas informais nos bastidores do evento.

Analisando palavras

"Todos estão procurando pistas para descobrir se a Opep chegará a um acordo para limitar a produção ou se a deixará sem limite, com potencial de uma produção mais elevada", disse Tim Evans, analista de energia do Citi Futures Perspective em Nova York. "A essa altura estamos esperando os resultados das conversas. Muitas pessoas estão esperando enquanto outras constroem posições com uma visão específica em mente".

Um acordo de congelamento entre membros da Opep e outros produtores foi proposto em fevereiro. Uma reunião realizada em abril terminou sem acordo porque o Irã se recusou a participar, enquanto a Arábia Saudita insistia que sua rival entrasse no acordo. O Irã disse que é cedo para limitar sua produção porque está restaurando a produção limitada por sanções.

Os especuladores reforçaram suas posições vendidas para o petróleo West Texas Intermediate em 34.954 futuros e opções durante o período de uma semana que terminou em 6 de setembro, segundo a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC, na sigla em inglês). As apostas na alta dos preços caíram.

Os futuros do WTI caíram 3,3 por cento, para US$ 44,83 o barril, na semana do relatório e os preços apresentavam declínio de 1,9 por cento, para US$ 45, às 11h01 desta segunda-feira, pelo horário de Londres.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos