Bolsas

Câmbio

Trump abre caminho para fusões e aquisições, diz Greenhill

Lisa Du

(Bloomberg) -- O CEO da Greenhill & Co., Scott Bok, disse que seus clientes que estudam fusões e aquisições estão enxergando além da incerteza política dos EUA e do Reino Unido e se concentrando no compromisso do presidente americano Donald Trump para com o crescimento econômico.

"Você poderia dizer, 'calma, vamos esperar para ver como será a carga tributária, vamos ver o que vai acontecer com os tratados comerciais'", disse Bok, na sexta-feira, em entrevista à Bloomberg Television. Mas "eu acho que há um claro entendimento de que temos um governo bastante aberto aos negócios em Washington agora e eu acho que esse é o sinal verde para as empresas fecharem negócios."

As ações da Greenhill subiram 27 por cento desde o dia da eleição. A empresa com sede em Nova York informou na quinta-feira à noite que o lucro do quarto trimestre triplicou. A companhia de Bok foi uma das assessoras da transação fechada nesta sexta-feira pela empresa de supermercados Tesco para compra da atacadista de alimentos britânica Booker Group por cerca de US$ 4,6 bilhões.

"A compra feita pela Tesco é significativa", disse Bok. "Mesmo em meio a todas as dúvidas em relação ao Brexit e ao seu formato, esta é uma companhia que está fechando uma transação estratégica importante."

Enquanto a primeira-ministra Theresa May planeja tirar o Reino Unido da União Europeia, a UE trabalha para que o país não fique em melhor posição após o Brexit, disse o negociador do Parlamento Europeu nesta semana. Trump deixou Wall Street com incertezas em relação aos detalhes dos investimentos do governo e seu porta-voz disse na quinta-feira que o governo estuda aplicar um imposto de 20 por cento sobre as importações do México.

A alta dos preços das ações mostra que "claramente os mercados estão descontando os fatores negativos, como as guerras comerciais, e levando em conta os fatores positivos", disse Bok. Com os valores mais elevados das ações pode ser mais atrativo para os compradores o uso de ações para financiar aquisições.

'Sinal positivo'

Joshua Wright, ex-comissário de comércio, com uma visão de não-intervenção em relação à concorrência, é candidato a um importante cargo na agência antimonopolista do governo, segundo pessoas com conhecimento do assunto. Entre as escolhas do gabinete de Trump estão o secretário do Tesouro nomeado Steven Mnuchin, ex-banqueiro do Goldman Sachs e o ex-CEO da Exxon Mobil, Rex Tillerson, como secretário de Estado.

"Com Trump eu sei que há muitas incertezas, eu sei que as pessoas não gostam da retórica", disse Bok. "Acho que claramente há um sinal positivo aqui, você olha para o gabinete em torno dele e há vários homens de negócios."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos