Conheça os bastidores da nova exposição das roupas de Lady Di

Lili Rosboch

(Bloomberg) -- "Sempre que a princesa conversava sobre suas roupas comigo, parte da discussão era: 'O que eu vou transmitir se eu usar isso?'. Para ela, essa era a verdadeira linguagem das roupas."

É o que o estilista britânico Jasper Conran disse sobre Diana, princesa de Gales ? palavras que saúdam os visitantes quando entram em "Diana: Her Fashion Story", uma exposição em homenagem à falecida ícone real da moda 20 anos após sua morte.

Seis retratos close-up da princesa no início da exposição permitem entrever a evolução do estilo dela, explorada nas salas do Palácio de Kensington, onde 26 vestidos conhecidos estão exibidos.

Os visitantes verão o vestido de veludo azul-escuro, com ombros nus, que ela usou quando dançou com John Travolta na Casa Branca durante a presidência de Reagan em 1985 e a blusa rosa-chá de chiffon que ela usou para seu primeiro retrato oficial tirado por lorde Snowdon, publicado pela Vogue em 1981.

Está lá também o vestido verde de lantejoulas criado por Catherine Walker que é típico da chamada fase "Dinastia", quando a imprensa reparou que ela gostava de ombreiras grandes, tecidos luxuosos e acessórios metálicos.

"Quando ela começou, era muito jovem e se vestia de um jeito muito inglês, de um grupo específico de Londres", disse Jacques Azagury, que fez alguns dos vestidos dos últimos anos dela.

"Ela fazia parte das meninas de Knightsbridge, das meninas de Kensington, e todas elas se vestiam assim, meio que com babados e grandes mangas bufantes."

"Mas esse é um bom jeito de ver a evolução de uma pessoa. À medida que ela cresceu e passou a viajar mais, se tornou mais internacional e reduziu o tom a um tipo muito mais aceitável de concepção europeia do glamour."

Com o tempo, Diana ficou mais confiante e no controle de como ela era representada, de acordo com Eleri Lynn, curadora da exposição. A ex-mulher do príncipe Charles e mãe dos príncipes William e Harry uma vez disse: "Você ficaria impressionado com o que é preciso se preocupar, desde coisas óbvias como o vento... e você precisa levantar os braços para receber umas flores, então você não pode usar algo muito revelador nem ter bainhas curtas demais".

Os escolhidos pela princesa, de uma jaqueta de tweed usada na lua de mel a vestidos coquetel, vestidos de noite e trajes formais, estão exibidos em grandes vitrines de vidro em salas bem iluminadas de paredes brancas e pisos de madeira.

Alguns foram colecionados a partir de um leilão realizado por Diana na Christie's New York em 1997, quando ela vendeu 79 vestidos para doar para caridade e captou US$ 3,25 milhões. Outros foram encontrados em lojas e coleções particulares.

Mas o grande burburinho em torno da exposição talvez não seja por causa da beleza das roupas, "mas pelo fato de que são roupas que foram usadas pela princesa Diana", disse Azagury. "Esta é a verdadeira atração da exposição, ver todos aqueles vestidos que o público costumava vê-la [usar] em fotografias, na televisão ? ver eles ao vivo, em uma vitrine de vidro, é algo maravilhoso."

A exposição "Diana: Her Fashion Story" abrirá no Palácio de Kensington, em Londres, no dia 24 de fevereiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos