Bolsas

Câmbio

Guia especializado para chorar no trabalho

Rebecca Greenfield

(Bloomberg) -- A sabedoria convencional a respeito de chorar no trabalho é a seguinte: não faça isso. É pouco profissional, deixa as outras pessoas incômodas e as mulheres, em particular, aparentam fraqueza quando o fazem.

Contudo, apesar do estigma, muitos choram. Em uma pesquisa realizada com 13 mil pessoas, 10% dos participantes informaram que já se esconderam no banheiro do escritório para chorar.

Outra pesquisa com 700 pessoas apontou que 41% das mulheres e 9% dos homens participantes admitiram já terem chorado no trabalho. Eu já passei por isso na minha mesa, em um escritório aberto. E enquanto escrevia essa reportagem, muitos colegas, homens e mulheres, confessaram que também já se deixaram levar pelas emoções no trabalho.

Considerando que o choro é uma parte natural da experiência humana, nós não deveríamos nos surpreender que isso ocasionalmente ocorra no ambiente de trabalho. Portanto, precisamos não apenas aceitar a existência das lágrimas, mas talvez aprender também a usá-las a nosso favor.

Paixão profissional

Pesquisas recentes da Faculdade de Administração de Harvard revelaram o segredo para transformar lágrimas em ouro no ambiente de trabalho: transforme-as em prova de sua paixão profissional.

Em uma série de cinco experimentos, a pesquisadora Elizabeth Bailey Wolf descobriu que os trabalhadores que colocaram a culpa pelas lágrimas no comprometimento emocional com seu trabalho foram considerados mais competentes do que quem chorou por outros motivos.

Em um cenário, por exemplo, os pesquisadores descreveram um conflito de trabalho entre membros de uma equipe que terminaram chorando. Em uma versão, o trabalhador atribuiu a culpa pela explosão ao investimento pessoal no trabalho. Em outra versão, aquele que chorava atribuiu a culpa ao simples fato de ser emotivo. Em uma terceira versão, a pessoa não disse nada a respeito das lágrimas.

Aqueles que falaram sobre seu comprometimento com o trabalho foram considerados mais competentes, apontou o estudo.

"Basicamente, você está dizendo: 'não estou triste porque sou um desastre emocionalmente, mas sim porque me comprometi tanto com o trabalho que quando as coisas não vão bem, isso me afeta emocionalmente'", disse Wolf. "A maioria dos empregadores deseja isso. Eles querem pessoas dedicadas e profundamente comprometidas."

Lágrimas nobres

É claro que essa estratégia funciona apenas para as lágrimas relacionadas ao trabalho, e às vezes as pessoas choram no trabalho por motivos pessoais (se flagrado, você pode tentar colocar a culpa no trabalho).

No entanto, essa dinâmica tende a se cristalizar realmente na avaliação de desempenho, o momento mais comum do choro no ambiente de trabalho.

Se as lágrimas começam a rolar involuntariamente durante as duras críticas do chefe, em vez de pedir desculpas por sua reação emotiva, coloque a culpa em sua paixão pelo trabalho. O chefe pode considerar as lágrimas nobres, cativantes até, em vez de um sinal de fraqueza.

Marcus Hardy, supervisor de contabilidade de 29 anos da Codeword, uma agência de Relações Públicas com sede em Lehi, Utah, quer tornar o choro no trabalho mais aceitável.

Hardy disse que chora "pelo menos umas duas vezes por ano" no escritório, que é aberto em relação aos seus hábitos e que inclusive incentiva colegas mais jovens a deixarem as emoções fluírem. "Você é um ser humano, não uma máquina", disse ele. "Sinceramente, eu me sinto muito melhor depois."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos