Bolsas

Câmbio

Plano de Agarwal para Anglo é maior mistério da mineração

Thomas Biesheuvel, Tom Wilson e Ruth David

(Bloomberg) -- Quando o conselho da Anglo American se reuniu na suntuosa vinícola Vergelegen, na África do Sul, na quarta-feira à noite, como parte da comemoração de seu 100o aniversário, a notícia nos jornais pegou os executivos de surpresa: o magnata indiano da mineração Anil Agarwal estava se tornando o maior acionista da companhia.

Após a festa da diretoria da Anglo em homenagem ao seu passado, a empresa agora enfrenta um futuro incerto. Agarwal atualmente está em posição de pressionar por grandes mudanças, mas ainda não se sabem suas intenções, o que faz os analistas tentarem adivinhar os planos do bilionário para essa mineradora blue chip.

Agarwal afirmou na quarta-feira que pretende investir 1,5 bilhão de libras (US$ 2 bilhões) na ampliação de sua participação, elevando sua posição total a cerca de 20 por cento. O investidor de 63 anos, que administra um império de mineração que inclui a Vedanta Resources e a Hindustan Zinc, disse que sua participação na Anglo é um investimento familiar e que ele não pretende fazer uma oferta de aquisição. Mas a estrutura incomum do acordo sugere que Agarwal não vai simplesmente comprar e manter.

Agarwal construiu sua participação na Anglo por meio de títulos negociáveis obrigatórios emitidos por sua unidade Volcan Investments e garantidos por ações da Anglo. Na prática, ele aluga as ações até o vencimento do título, em 2020, e não se beneficia tanto com a alta do preço dos papéis, o que para alguns analistas é um sinal de que Agarwal pode forçar a Anglo a se dividir ou a se combinar.

Assento à mesa

"Trata-se de um investimento pessoal bastante caro", disse Paul Gait, analista da Sanford C. Bernstein em Londres. "Para mim, parece que ele está se posicionando para, após as eleições do Congresso Nacional Africano e as eleições parlamentares sul-africanas, ter um assento à mesa para algum tipo de reestruturação."

Porta-vozes da Anglo American e de Agarwal preferiram não comentar. As ações da Anglo subiram 3,7 por cento em Londres na quinta-feira.

Agarwal disse várias vezes neste ano que não pretende ser um investidor-ativista. Mas em 2016 ele propôs a fusão da Hindustan Zinc com a Anglo, afirmando que a combinação "encaixa bem" e que com o acordo "um mais um não seriam dois, e sim 11". A proposta foi rapidamente rejeitada pela Anglo. Agora, o pretendente rejeitado é o maior acionista da empresa.

Segundo as regras para aquisições vigentes no Reino Unido, Agarwal deve esperar seis meses para fazer uma nova abordagem à Anglo. Essa restrição não se aplica à empresa-alvo se quiser abordar o potencial comprador. Agarwal teria que apresentar uma oferta em dinheiro a todos os acionistas se comprar ações com 30 por cento ou mais dos direitos de voto da companhia.

Grande parte da especulação atual se concentra na África do Sul. Agarwal pode querer comprar os ativos da Anglo no país, como a empresa Kumba Iron Ore, e exportar carvão térmico, escreveram analistas do Barclays.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos