ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Americanos podem comer mais frango? Setor aposta em crescimento

Megan Durisin

07/02/2018 15h51

(Bloomberg) -- Como se os americanos não tivessem frango suficiente no cardápio, a produção da carne mais popular nos EUA caminha para registrar o maior crescimento em mais de dez anos.

Várias empresas, entre elas a Tyson Foods e a Sanderson Farms, lideram uma expansão do setor com novas plantas de processamento do Tennessee ao Texas, impulsionadas por anos de lucro graças a grãos baratos para alimentar as aves e a um recorde de demanda. Até mesmo a varejista Costco Wholesale está entrando em ação, construindo sua primeira planta de processamento de carne de frango no Nebraska.

Os consumidores americanos estão comendo mais nuggets, asas e peitos desossados de frango do que nunca, mas a Sanderson estima que a produção do setor aumentará 3 por cento ao ano de 2019 até 2021. Essa é a maior expansão desde o fim de uma expansão de três anos em 2005 e é provável que provoque uma "luta acirrada" pela participação de mercado e coloque em perigo os preços, que no ano passado foram 10 por cento mais altos do que em 2016.

"Eu acho que essa construção não causará uma queda forte dos preços, mas ela certamente irá reduzir qualquer alta", disse Tom Elam, presidente da FarmEcon, uma consultoria de aves domésticas de Indiana.

Boom

O setor experimenta um boom de lucros porque os alimentos mais baratos possibilitaram que os fazendeiros criassem aves maiores e em maior quantidade. Os americanos comem mais frango do que qualquer outra carne há duas décadas, mas a demanda decolou nos últimos anos. O consumo per capita dará um salto para o recorde de 42 quilos neste ano, um aumento de 15 por cento desde 2012, mostram dados do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês).

A produção avícola é rentável desde 2011, quando o aumento dos preços do milho e da soja causou prejuízos que obrigaram as empresas a reduzirem suas operações. Desde então, a produção aumentou sem parar para quase 19 milhões de toneladas neste ano, principalmente devido à criação de aves maiores, mostram dados do USDA.

A maior parte das expansões de processamento estará concluída no começo do ano que vem. A Sanderson, que adicionou sete plantas desde 1993 e tem sido mais agressiva na expansão de capacidade, recentemente começou a construir no leste do Texas. A Tyson, a maior produtora, planeja construir sua primeira nova planta de frangos em duas décadas, abrindo em 2019 no oeste do Tennessee. A Costco afirma que sua planta de US$ 300 milhões em Nebraska produzirá quase 100 milhões de frangos por ano, fornecendo cerca de um quarto do que suas lojas precisam e reduzindo os custos em 10 centavos de dólar, para US$ 0,35 por ave.

"Talvez haja mais expansão do que pensamos inicialmente", disse Heather Jones, analista da Vertical Group, em relatório em 5 de fevereiro. Em outra entrevista, Jones disse que os aumentos da produção serão absorvidos pelo mercado, mas "as margens serão comprimidas".

--Com a colaboração de Kevin Varley

Mais Economia