PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

BitMEX teria alugado escritório mais caro do mundo, diz jornal

Shawna Kwan

22/08/2018 11h20

(Bloomberg) -- Uma plataforma de negociação de criptomoedas cofundada por Arthur Hayes, ex-trader do Citigroup, acaba de alugar o escritório mais caro do mundo, informou um jornal de Hong Kong.

A BitMEX alugou o 45º andar do Cheung Kong Center, informou o jornal Hong Kong Economic Times nesta quarta-feira, citando fontes que não foram identificadas. O arranha-céu abriga o Goldman Sachs Group, o Barclays, o Bank of America, o órgão regulador de valores mobiliários, a Bloomberg e o império do bilionário Li Ka-shing.

Firmas de criptomoedas estão tentando sair da periferia das finanças e entrar no âmbito convencional apesar da queda de 65 por cento nos preços do bitcoin em relação ao pico registrado em dezembro, que colocou em dúvida a sustentabilidade do setor. Esbanjar em um escritório caro pode ser um sinal de como as plataformas de negociação, como BitMEX, podem prosperar até mesmo enquanto a volatilidade dos mercados abala os investidores.

Hayes não respondeu a e-mails com pedidos de comentários.

Em janeiro, quando a Bloomberg entrevistou Hayes, a BitMEX ocupava um escritório escassamente decorado em um distrito de logística e armazéns que fica do outro lado do Porto de Victoria. Os aluguéis no edifício custavam cerca de 269 dólares de Hong Kong (US$ 34) por metro quadrado, de acordo com um anúncio em uma agência imobiliária próxima. O valor se compara com um recorde de 2.421 dólares de Hong Kong por metro quadrado para o espaço no Cheung Kong citado pelo Hong Kong Economic Times.

Demitido do Citigroup, Hayes foi inspirado a cofundar o negócio em 2014 depois de descobrir que poderia ganhar "dinheiro fácil" explorando as diferenças de preço do bitcoin em Hong Kong e na China. Hoje, a BitMEX oferece contratos alavancados comprados e vendidos na criptomoeda.

De acordo com o Hong Kong Economic Times, os planos de expansão da empresa estimularam a decisão de alugar um andar inteiro do Cheung Kong Center - quase 1.860 metros quadrados - depois de a BitMEX ter considerado ocupar apenas metade disso.

Ao contrário do bitcoin, os preços dos imóveis em Hong Kong só vêm se movendo em uma única direção. O distrito central tem os maiores custos de ocupação de escritórios do mundo, de acordo com a CBRE Group, que citou uma pesquisa do primeiro trimestre. Este foi o terceiro ano consecutivo em que Hong Kong ficou no topo da pesquisa. O West End de Londres ficou em segundo lugar.

--Com a colaboração de Benjamin Robertson.