ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Aston Martin tenta levar mais mulheres ao conselho e às lojas

David Hellier e Ruth David

05/09/2018 12h57

(Bloomberg) -- A Aston Martin, a fabricante de carros esportivos dos filmes de James Bond, está correndo para adicionar uma mulher ao conselho antes do IPO em Londres.

Atualmente, todos os nove diretores são homens. A Aston Martin Holdings (U.K.) poderá nomear mulheres para o conselho em meio à publicação de um prospecto de oferta pública inicial, nas próximas semanas, segundo pessoas a par do assunto.

Se não o fizer, a fabricante de carros de luxo se tornará uma das cerca de 10 empresas do índice de ações de referência do Reino Unido, o FTSE 350, a ter um conselho de administração exclusivamente masculino em um momento em que o governo está exortando as empresas a garantirem que 33 por cento dos diretores sejam mulheres até 2020.

A escassez de mulheres no conselho não é o único obstáculo enfrentado pela Aston Martin: a empresa de 105 anos está procurando formas de tornar sua linha mais atraente para as mulheres e para os consumidores mais jovens. O crossover DBX, de 2015, voltado em parte a mulheres na casa dos 30 e poucos anos, foi pensado para ampliar seu apelo depois que a fabricante dos emblemáticos carros esportivos britânicos descobriu que apenas 3.500 veículos -- ou 5 por cento dos carros produzidos em sua história, na época -- tinham sido comprados por mulheres.

Naquele mesmo ano, a Aston Martin também contratou Laura Schwab como presidente de seu negócio nas Américas, mas ela não tem um cargo sênior o suficiente para ser considerada para um lugar na página web que mostra os perfis dos 12 principais executivos da empresa -- todos homens.

O conselho da fabricante de veículos, que estaria buscando uma avaliação de cerca de 5 bilhões de libras (US$ 6,4 bilhões), hoje é composto majoritariamente por representantes de suas maiores acionistas, incluindo a empresa Investment Dar, do Kuwait, e a Investindustrial Advisors.

Nos últimos anos, a Aston Martin e outras fabricantes de carros deixaram de apresentar anúncios com mulheres sobre os capôs e passaram a retratar mulheres ao volante com o objetivo de conquistar novos tipos de clientes.

Repórteres da matéria original: David Hellier em Londres, dhellier@bloomberg.net;Ruth David em London, rdavid9@bloomberg.net

Mais Economia