PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Ricos do Japão acumulam US$ 7,7 tri, chineses vêm logo atrás

Venus Feng

28/11/2018 11h45

(Bloomberg) -- Os ricos do Japão têm a maior acumulação de riqueza na região Ásia-Pacífico, com US$ 7,7 trilhões, mas as legiões de milionários chineses estão correndo para alcançá-los.

A riqueza acumulada pelos indivíduos com grande patrimônio líquido da China cresceu mais de 144 por cento entre 2010 e 2017 e chegou a US$ 6,5 trilhões, de acordo com o último Relatório sobre a Riqueza da Ásia-Pacífico elaborado pela consultoria Capgemini. A taxa equivalente de crescimento no Japão no mesmo período foi de cerca de 87 por cento.

Mais recentemente, os milionários da Índia aumentaram o ritmo. A riqueza mantida por indivíduos indianos com grande patrimônio líquido aumentou quase 22 por cento em 2017 em comparação com o ano anterior, o crescimento mais rápido na região nesse período, informou a Capgemini nesta quarta-feira.

Outros importantes mercados de riqueza da Ásia também registraram um crescimento acelerado no ano passado.

A Indonésia registrou um enorme aumento na riqueza total mantida pelos indivíduos com grande patrimônio líquido, de US$ 184 bilhões em 2016 para US$ 661 bilhões, mas a Capgemini atribuiu esse salto à reconfiguração dos dados de 2017 para refletir o impacto da anistia fiscal do país em 2016-17 e à maior disponibilidade de informações.

As fortunas dos ricos da Coreia do Sul registraram um crescimento combinado de 18 por cento, o segundo maior da região.

Hong Kong teve o terceiro maior crescimento, de 16,3 por cento, graças principalmente à expansão do mercado imobiliário.

Cingapura ficou em sexto lugar, abaixo da Tailândia e de Taiwan, com 13 por cento de crescimento nos ativos de indivíduos com grande patrimônio líquido.

E a rápida trajetória ascendente deverá continuar. Depois de ter dobrado entre 2010 e 2017, quando chegou a US$ 21,6 trilhões, projeta-se que o total de riqueza mantido pelos indivíduos com grande patrimônio líquido na Ásia vai quase dobrar novamente até 2025, para US$ 42 trilhões, afirmou a Capgemini.

No ano passado, a riqueza na região Ásia-Pacífico contribuiu com 41,4 por cento de toda a fortuna dos novos indivíduos com grande patrimônio líquido globalmente, segundo a consultoria, que define esses indivíduos como aqueles que têm ativos de mais de US$ 1 milhão.

Apesar dos desafios, como a guerra comercial com os EUA, a China continuou gerando riqueza neste ano, de acordo com William Sullivan, diretor global de inteligência de mercado da Capgemini. "Este é um momento empolgante para a Ásia", acrescentou.

--Com a colaboração de Chloe Whiteaker.