ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Restaurantes de São Francisco superam os de Nova York de novo

Kate Krader

30/11/2018 14h12

(Bloomberg) -- São Francisco tem lutado para ser a cidade com os melhores restaurantes sofisticados dos EUA. E continua vencendo.

Na quinta-feira, a Michelin usou toda a sua influência em apoio à costa oeste novamente. O famoso guia premiou oito restaurantes com três estrelas; dois foram promovidos, incluindo o Single Thread, o requintado restaurante e pousada com ênfase na fazenda e com toques asiáticos do chef Kyle Connaughton, que tem apenas dois anos. Este é um elogio quase inédito para um lugar tão jovem - a Michelin costuma levar anos para promover, ou rebaixar, um estabelecimento. O Atelier Crenn, da visionária chef Dominique Crenn, também conquistou três estrelas.

Para quem está acompanhando a batalha dos restaurantes entre São Francisco e Nova York, dá para ver que a Big Apple está ficando cada vez mais para trás. Nova York tem apenas cinco lugares para jantar com três estrelas Michelin. Essa tendência acelerou no ano passado, quando Nova York perdeu um restaurante de três estrelas, Jean Georges, e São Francisco ganhou um, Coi, lugar modernista e consagrado em North Beach. Um dos motivos de São Francisco estar com tanto ímpeto é que seus lugares de destaque são relativamente novos: em 2007, São Francisco tinha apenas um restaurante com três estrelas Michelin, o French Laundry. Poucos dos outros destinos já tinham sido inaugurados. Em contraste, o restaurante de três estrelas mais jovem de Nova York, Chef's Table at Brooklyn Fare, abriu em 2009.

O diretor internacional da Michelin, Gwendal Poullennec, acredita que o estrelato de São Francisco continuará aumentando. "A qualidade do produto local com que os chefs trabalham é incrível. Houve um aumento contínuo na qualidade, a tendência é bastante positiva. Isso se manifestou em oito restaurantes de três estrelas."

No entanto, nem todos os restaurantes da região da baía receberam boas notícias: Coi caiu para duas estrelas. E um dos lugares adorados e de longa data de São Francisco, o restaurante de uma estrela Terra, fechou as portas no início deste ano.

Mas esteja avisado: as refeições de três estrelas da região da baía não são baratas. Os estabelecimentos que estão no topo só oferecem menus predefinidos. No Atelier Crenn, custa US$ 335; a harmonização com vinho custa a partir de US$ 220. No Quince, o menu de degustação regular custa US$ 275; as harmonizações com vinho custam um extra de US$ 250 e o menu de oito pratos com trufas brancas custa US$ 595. No Saison, o cardápio custa a partir de US$ 298. Em comparação, o Le Bernardin, de Nova York, oferece um menu com preço fixo a partir de US$ 160.

Existem agora 57 restaurantes na região da baía com estrelas Michelin. No ano passado, foram 55 ao todo. Cinco novos lugares receberam uma estrela neste ano, incluindo o novo Bar Crenn, centrado no vinho. (Para quem procura um grande vencedor na lista, o nome dela é Crenn.) Outra novidade é o Protégé, com um cardápio elegante e repleto de caviar elaborado por antigos membros do French Laundry, localizado em Palo Alto. Poullennec observa que essa é uma tendência entre os novos restaurantes com estrelas Michelin: eles estão sendo comandados por veteranos de lugares com três estrelas, o que significa que eles têm um caminho claro para o firmamento.

Mais Economia