PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Petróleo bruto pode ser próxima munição para rali de emergentes

Ben Bartenstein

22/04/2019 18h48

(Bloomberg) -- Os mercados emergentes ganharam um estímulo do Federal Reserve, de Donald Trump e Xi Jinping para começar o ano. A próxima benção poderá vir do petróleo.

Investidores dizem que um potencial aumento nos preços do petróleo pode ser o mais recente impulso para os países em desenvolvimento após notícia de que Casa Branca não renovará as dispensas relacionadas às sanções do petróleo iraniano. O petróleo bruto chegou a 3% nesta segunda-feira.

Embora não esteja claro por quanto tempo os ganhos durarão, os ativos de mercados emergentes historicamente se beneficiam da escalada dos preços do petróleo. O índice monetário EM da MSCI gerou retornos de dois dígitos durante os três maiores ralis de petróleo neste século.

Estes são os seis mercados emergentes com as maiores correlações, positivas e negativas, para os preços do petróleo:

Aqui está um olhar mais atento sobre os potenciais ganhadores e perdedores:

Rússia

O rublo russo subiu 21% entre os líderes mundiais durante o último grande rali de petróleo de fevereiro de 2016 a outubro de 2018. O maior produtor de gás natural do mundo viu investidores abocanharem sua dívida em moeda local em uma série de emissões recordes de títulos de dívida, diante da perspectiva de uma política mais flexível do banco central no final do ano.

Colômbia

O peso colombiano também atraiu interesse. Os analistas do JPMorgan Chase o qualificaram de uma das moedas mais baratas de mercados emergentes no início deste mês, enquanto o gestor de hedge fund Said Haidar o coloca entre suas melhores escolhas.

Brasil

O real brasileiro é uma aposta mais complicada, já que os altos e baixos da reforma da Previdência poderiam compensar qualquer outro driver, pelo menos no curto prazo. Um resultado de uma dose recente de más notícias é que a moeda ficou barata, de acordo com o Morgan Stanley.

Turquia

A Turquia, importadora de petróleo, muitas vezes fica atrás de outros países em desenvolvimento quando os preços da commodity aumentam. Ancara também é mais dependente do petróleo iraniano do que qualquer outra nação. Isso faz da lira um elo potencialmente fraco, de acordo com Frances Hudson, estrategista global em Edimburgo na Aberdeen Standard Investments.

Índia

A rúpia indiana é a moeda emergente mais negativamente correlacionada ao petróleo nos últimos cinco anos. No curto prazo, no entanto, os ativos do terceiro maior importador de petróleo do mundo poderiam ser mais conduzidos pelos resultados eleitorais do próximo mês.

Filipinas

Sem contar com Argentina e Turquia, os garotos-propaganda do recente selloff, o peso filipino sofreu mais durante o último rali de petróleo. As coisas podem ser diferentes desta vez, dado o cenário doméstico mais favorável, de acordo com Sally Greig, gestor da Baillie Gifford & Co. em Edimburgo.

Para contatar o editora responsável por esta notícia: Marisa Castellani, mcastellani7@bloomberg.net