PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

McAfee promete revelar criador do Bitcoin e depois recua

Olga Kharif

24/04/2019 11h06

(Bloomberg) -- John McAfee, o excêntrico pioneiro em antivírus conhecido por seus percalços com a lei, disse que conversou com o criador da Bitcoin, Satoshi Nakamoto, e planeja revelar a identidade da pessoa. O momento do anúncio, no entanto, está no ar.

Depois de dizer previamente à Bloomberg que ele iria expor Nakamoto "em uma semana", desistiu do plano. A McAfee disse na terça-feira pelo Twitter que a controvérsia poderia prejudicar seus esforços para impedir uma extradição para os EUA.

A história de Nakamoto, um pseudônimo para se referir a uma pessoa ou grupo de pessoas, é ferozmente debatida há anos, com uma longa lista de teorias desacreditadas que alimentam a suspeita de que o pioneiro da Bitcoin está provavelmente morto. Nos últimos dias, a McAfee disse que Nakamoto é um homem que mora nos EUA. "Falei com ele e ele não está satisfeito com minha tentativa de expô-lo", disse a McAfee em uma entrevista por telefone das Bahamas.

McAfee disse na entrevista que passou a vida toda perseguindo hackers, o que o torna bem adequado para essa tarefa. "As pessoas esquecem que eu sou um tecnólogo", disse ele. "E sou um dos melhores".

Ele tuitou em seguida, no entanto, que seu pedido de extradição para os EUA é iminente e seu advogado disse que expor Nakamoto poderia torná-lo alvo de ações judiciais - forçando-o a se defender "em muitas frentes". "Revelar a identidade de Satoshi neste momento poderia influenciar o julgamento e arriscar minha extradição" ele escreveu. "Eu não posso arriscar isso. Eu vou esperar."

O empresário fundou a McAfee Associates em 1987, embora a empresa tenha passado por várias mãos. Nos últimos anos, a McAfee tem investido em moedas digitais, além de promovê-las, a uma taxa, em seu próprio Twitter. Ele também está concorrendo à presidência dos EUA.

Teorias sobre Nakamoto circulam há anos. O New York Times e a New Yorker já tentaram encontrar a pessoa ou as pessoas por trás do pseudônimo.

Se Nakamoto estiver de fato vivo, isso pode afetar a negociação de Bitcoin. Acredita-se que Nakamoto, possivelmente junto com outros pioneiros da criptomoeda, seja uma das pessoas que tenha mais Bitcoins. Ele pode possuir quase 1 milhão delas, uma quantia enorme quando se considera que toda a oferta de circulação seja de aproximadamente 17,6 milhões de moedas. Como essas moedas não circularam em 10 anos, a maioria das pessoas presume que Nakamoto tenha morrido, uma teoria que surgiu de um processo movido por um homem da Flórida que alega ter ajudado a inventar a Bitcoin.

Nakamoto projetou o Bitcoin em 2008 e depois trabalhou com um grupo de pessoas para desenvolver a moeda, que estreou no ano seguinte, disse a McAfee. Se Nakamoto não estiver morto, essas moedas podem entrar no mercado. E a venda deles poderia influenciar os preços da Bitcoin. Toda vez que um administrador fiduciário da Mt. Gox, agora extinta bolsa, vendia Bitcoins para pagar os credores, o preço da moeda caía drasticamente.