IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Investidores de ouro apostam em rali com taxas negativas

Ranjeetha Pakiam

28/08/2019 13h38

(Bloomberg) -- Para investidores de ouro, a crescente lista de indicadores negativos nos mercados financeiros este ano está criando uma perspectiva muito positiva. Entre os principais estão as taxas de juros reais negativas, que reforçam o argumento para manter o metal precioso e alimentam expectativas de maior valorização.

O ouro atingiu o nível mais alto em mais de seis anos diante do corte dos juros pelo Federal Reserve e outros bancos centrais em meio à guerra comercial, enquanto a inflação permanece estável. Com os preços dos títulos de dívida subindo devido à maior demanda dos investidores por segurança, os rendimentos atuais são inferiores ao ritmo de alta dos preços ao consumidor. É uma enorme vantagem para o ouro, que não paga juros.

"A taxa real representa o custo de oportunidade de manter um ativo sem rendimento como o ouro", disse Harry Tchilinguirian, chefe de estratégia de mercados de commodities no BNP Paribas. "Um ambiente de taxa real mais baixa reforça a demanda atual por segurança com o ouro gerada por riscos de desaceleração para o cenário econômico associados às relações comerciais sino-americanas."

O ouro acumula alta superior a 20% em 2019, tendo superado US$ 1.500 a onça, com a demanda tendo sido puxada pelas tensões comerciais globais, desaceleração do crescimento econômico e investidores que buscam alternativas aos ativos de risco, incluindo ações. O cenário conturbado levou o Fed a reduzir os juros nos EUA pela primeira vez em mais de uma década. No mercado global, o volume de dívida com rendimento negativo ultrapassou US$ 16 trilhões este mês.

--Com a colaboração de Garfield Reynolds e Eddie van Der Walt.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Economia