PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Vale busca crédito, aéreas cortam voos: Vírus no Brasil

André Romani

24/03/2020 17h22

(Bloomberg) -- A Vale juntou-se à Petrobras ao pedir linhas de crédito aos bancos para lidar com os riscos adicionais dos efeitos do coronavírus, enquanto as companhias aéreas anunciaram novas reduções de voos.

Os dados mais recentes do Ministério da Saúde mostram que os casos confirmados aumentaram para 2.201, com 46 mortes.

Confira um resumo das últimas medidas adotadas pelas empresas brasileiras por causa do coronavírus:

24 de março: Vale, aéreas

Vale anunciou fará desembolso de US$ 5 bilhões de linhas de crédito rotativo e que irá ajudar fornecedores, com antecipação do prazo de pagamentos em até 85%. Gerdau adiou iniciativas de investimento globalmente e suspendeu operações no Peru e Argentina.

Aéreas reduziram voos novamente: Gol diminuiu voos diários para 50 até maio e a Azul, para 70 até 30 de abril, um corte de 90% na capacidade.

A IMC, que opera as marcas Pizza Hut, KFC e Frango Assado, adiou o guidance de abertura de lojas para este ano e 2021, além de reduzir sua equipe em cerca de 30%. Em contrapartida, a empresa informou que a modalidade delivery cresceu mais de 20% no fim de semana de 20 a 22 de março, em comparação com o período de 6 a 8 de março.

As ações da Embraer reagiram com forte alta à notícia de que a Boeing ainda vê o acordo com a empresa em meio à crise.

O Itaú Unibanco decidiu suspender demissões por tempo indeterminado.

23 de março: Klabin, shoppings fechados

Renault juntou-se às montadoras na suspensão das atividades até meados de abril. Hering fechou suas lojas e Arezzo interrompeu funcionamento de suas fábricas. Somados, 550 shoppings em todo o país estavam fechados - 95% do total -, segundo a Abrasce, associação que representa o setor.

Vale anunciou a suspensão das operações no terminal portuário na Malásia a partir de terça-feira. Medida dura até pelo menos 31 de março. Klabin interrompeu as obras do projeto Puma II.

Ambev cancelou todos os guidances de 2020 e CVC reduziu em 50% os salários e jornadas de diretores.

22 de março: ajuda do BNDES, Embraer

Embraer colocou seus funcionários que não podem desempenhar suas atividades remotamente em afastamento temporário remunerado até o dia 31 de março, segundo comunicado. Os funcionários que estavam em home office continuam trabalhando remotamente.

O BNDES suspendeu os pagamentos de até R$ 30 bilhões em crédito por seis meses, como suporte às companhias. Medida inclui as modalidades direta e indireta. Banco também anunciou a liberação de R$ 5 bi para pequenas e médias empresas, e a transferência de R$ 20 bi do fundo do PIS-PASEP para o FGTS. No total, as medidas injetam R$ 55 bilhões na economia.

21 de março: varejistas, Burger King

Marisa, C&A Brasil e Via Varejo fecharam as portas de suas lojas físicas.

Operadores das marcas Burger King, Popeyes e Outback anunciaram que seus restaurantes só vão funcionar via delivery ou em pedidos feitos na modalidade "para viagem" no país.

20 de março: Petrobras, montadoras

Petrobras suspendeu a venda de suas refinarias e pediu a bancos o desembolso de US$ 8 bilhões em linhas de crédito compromissadas.

Guararapes anunciou o fechamento de suas lojas por tempo indeterminado e a Vulcabras interrompeu as atividades em todas as suas fábricas no país. Iguatemi fechou mais quatro shoppings.

Toyota e Fiat Chrysler juntaram-se às montadoras que suspenderam as operações no Brasil.

Paraná Banco solicitou a suspensão de seu pedido de abertura de capital, após uma série de empresas fazer o mesmo.

19 de março: Ajuda às aéreas, JBS

Gol anunciou corte de salários e jornada em cerca de 35% - 40% para alguns executivos - mesmo depois que o governo anunciou um pacote de medidas para o setor.

Volkswagen e Ford suspenderam a produção no Brasil - no caso da Ford, a paralisação também engloba a Argentina. A fabricante de carrocerias Marcopolo anunciou a liberação de seus funcionários, assim como as fabricantes de autopeças Fras-Le e de implementos rodoviários Randon.

JBS disse que interrompeu as operações em cinco de suas 37 unidades de carne bovina no Brasil por 20 dias devido à menor demanda de exportação, enquanto a Minerva divulgou que concederá férias coletivas em quatro de suas unidades.

Caixa Econômica Federal anunciou linhas de crédito especiais, com até seis meses de carência, para empresas do comércio e de serviços. Para máquinas e equipamentos, linhas terão taxas reduzidas com até 60 meses de prazo.

Renner estendeu os fechamentos de suas lojas para todo Brasil, Uruguai e Argentina.

17, 18 de março: Vale, shoppings

Depois de colocar a mina de Voisey's Bay, no Canadá, em "care and maintenance" por quatro semanas, Vale disse que estava revisando a paralisação das plantas de processamento de carvão em Moçambique, o que poderia afetar o guidance de 2020.

No dia seguinte, a mineradora informou que estudava interromper temporariamente seu centro de distribuição Teluk Rubiah Maritime Terminal, na Malásia, que serve como canal para a China.

Renner anunciou fechamento das lojas em São Paulo. Mercedes-Benz e GM concederam férias coletivas.

BR Malls, Aliansce Sonae e Multiplan anunciaram temporariamente fechamento de seus shoppings no Rio de Janeiro, para cumprir as restrições impostas pelo governo local. Posteriormente, medidas foram implementadas também em outros locais, como São Paulo.

Minerva interrompeu a produção em quatro fábricas e deu férias coletivas aos trabalhadores, enquanto a JBS disse considerar um plano semelhante para algumas de suas plantas no país.

16 de março: IPO adiado, bancos

Azul reduziu a capacidade total em 20%-25%, cortou os salários dos executivos e suspendeu novas contratações. A concorrente Gol seguiu o movimento e anunciou redução na capacidade doméstica entre 50% e 60% e em 90%-95% no mercado internacional.

JBS e Minerva estudavam conceder férias coletivas em algumas de suas fábricas no Brasil quando a demanda foi atingida pelo vírus. Vamos aunciou adiamento de seu IPO.

Os cinco maiores bancos associados à Febraban anunciaram que estão atendendo pedidos de prorrogação dos vencimentos de dívidas de clientes pessoas físicas e micro e pequenas empresas.

©2020 Bloomberg L.P.