PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

China estuda fusão de corretoras para competir com Wall Street

Mark Schiefelbein/CHN/AP
Imagem: Mark Schiefelbein/CHN/AP

Bloomberg News

14/04/2020 08h08

A China iniciou o processo para uma possível fusão de suas duas maiores corretoras, o que criaria uma empresa mais forte para competir com bancos de investimento globais, em meio à abertura dos mercados financeiros do país, segundo pessoas a par do assunto.

A Citic Securities e a CSC Financial, juntamente com os acionistas do governo Citic Group e Central Huijin Investment, deram início recentemente à diligência prévia e estudo de viabilidade sobre como estruturar o acordo, segundo as pessoas, que não quiseram ser identificadas. Reguladores, como a Comissão de Valores Mobiliários da China e a Comissão de Supervisão e Administração de Ativos Estatais, foram comunicados sobre processo, disseram as pessoas.

Uma fusão entre a Citic e a CSC, ambas com sede em Pequim, criaria um banco de investimento avaliado em US$ 67 bilhões, que superaria até o Goldman Sachs em valor de mercado. A abertura do setor financeiro da China, avaliado em US$ 45 trilhões, aumentou a urgência do governo para criar uma empresa que possa enfrentar os gigantes de Wall Street.

"Comparado com os mercados globais, o setor de valores mobiliários da China ainda é disperso e os grandes 'players' locais estão muito aquém de seus pares globais", disse Wang Jian, analista da Guosen Securities. "Como o crescimento interno é muito demorado, melhorar a competitividade do setor por meio de fusões é necessário em meio ao influxo de capital estrangeiro."

Ainda assim, não há garantia de que as discussões atuais resultem em um acordo, disseram as pessoas, acrescentando que as autoridades chinesas querem que a fusão tenha como objetivo razões comerciais.

No fim do ano passado, a Comissão de Valores Mobiliários da China disse que queria criar bancos de investimento do "tamanho de porta-aviões" para competir, além de promover a expansão internacional do setor de corretagem.

Juntas, a Citic e a CSC teriam cerca de 1 trilhão de yuans em ativos (US$ 142 bilhões) e mais de 25 mil funcionários. As empresas ocupam o 1º e o 2º lugar em termos de acordos de subscrição, e a incorporação da CSC aumentará o domínio da Citic no negócio de corretagem.

"Os pontos fortes da Citic e da CSC Financial estão nos bancos de investimento", disse Luo Zuanhui, analista da Tianfeng Securities, de Xangai. "As duas estão entre os três principais players em renda variável, subscrição de renda fixa e consultoria de fusões e aquisições. Se a fusão for aprovada, criará um player dominante nesse campo."

Citic Securities, CSC Financial, Citic Group, Huijin e CSRC não responderam imediatamente aos pedidos de comentários. Um assessor de imprensa da Comissão de Supervisão não quis comentar.

PUBLICIDADE