PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Nubank compra empresa dos EUA em primeiro M&A internacional

Felipe Marques e Payne Lubbers

23/07/2020 08h01

(Bloomberg) -- O Nubank, a fintech brasileira que se tornou o maior banco digital independente do mundo, fez sua primeira aquisição internacional, uma empresa americana de consultoria em software chamada Cognitect.

Com sede em Durham, na Carolina do Norte, a Cognitect já presta serviços para o Nubank e tem cerca de 20 funcionários, que serão integrados à fintech, disse David Vélez, presidente e co-fundador do Nubank, em entrevista. Os detalhes financeiros da transação não foram divulgados.

"Na nossa escala atual, há tanta coisa em jogo que achamos que precisávamos de um nível diferente de acesso a um de nossos parceiros tecnológicos mais importantes", disse Edward Wible, diretor de tecnologia e co-fundador do Nubank.

Avaliado em US$ 10,4 bilhões em 2019, o Nubank possui cerca de 26 milhões de clientes. É aproximadamente a mesma quantidade de clientes ativos que o Banco Santander tinha no Brasil em junho. Outros bancos digitais independentes, ou seja, que não são ligados a grandes conglomerados, como o russo Tinkoff Bank e o Revolut, do Reino Unido, têm cerca de 10 milhões e 12 milhões de clientes cada, de acordo com seus sites.

É um ritmo exponencial de crescimento que até aumentou durante a pandemia. Nos últimos três meses, o Nubank trouxe tantos depósitos quanto nos 12 meses anteriores, disse Vélez, com uma base de novos clientes que chega a ter 90 anos de idade.

O sucesso em oferecer aos brasileiros um produto de cartão de crédito sem tarifas e sem papelada levou o Nubank a aumentar sua grade de produtos e a buscar expansão fora de seu país de origem nos últimos anos. O Nubank hoje oferece desde contas de pagamento a investimentos e produtos para pequenas e médias empresas, com escritórios na Argentina, no México e em Berlim.

A aquisição da Cognitect coloca mais um país na lista. A consultoria de software está por trás da linguagem de programação Clojure e do banco de dados Datomic, que o Nubank usa como uma ferramenta importante em processos de auditoria, garantindo que informações não se percam, diz Wible. As empresas começaram a trabalhar juntas em 2014. Rich Hickey, diretor de tecnologia da Cognitect, e o seu presidente Stuart Halloway também vão passar para a equipe do Nubank.

"À medida que crescemos, sentimos que não tínhamos mentores para orientar os engenheiros mais seniores, o que muda após a aquisição", disse Wible. O Nubank se compromete manter o Clojure uma linguagem de programação de código aberto e a manter os serviços do Datomic sem alterações para quem os usa, afirmou.

A Cognitect é a segunda aquisição do Nubank. Em janeiro, comprou a Plataformatec, uma empresa brasileira de engenharia de software, com o objetivo de recrutar uma equipe de 50 funcionários para seu próprio time de tecnologia. Atualmente, o Nubank possui mais de 2.700 empregados e cerca de 600 engenheiros.

Vélez afirmou que a fintech não está planejando novas aquisições no curto prazo, nem novas rodadas de captação de recursos este ano. Também não há pressa para um IPO, disse. Até o momento, o Nubank já recebeu US$ 820 milhões em aportes.

Comprar uma empresa a quase 7.400 quilômetros de distância de casa deu à fintech brasileira outra vantagem: facilitar a contratação de engenheiros americanos. "Abrir o mercado de talentos americano para nós será uma grande mudança", disse Wible, que nasceu nos EUA e mora há sete anos no Brasil.

©2020 Bloomberg L.P.