PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Comissão europeia insiste que negociação do resgate grego avança sem problema

29/07/2015 09h41

Bruxelas, 29 jul (EFE).- A Comissão Europeia (CE) garantiu nesta quarta-feira que as negociações com a Grécia para fixar os termos do terceiro resgate avançam sem problemas e se mostrou satisfeita com a cooperação das autoridades helenas.

"O intenso trabalho está progredindo e estamos satisfeitos com a cooperação construtiva e sem problemas das autoridades gregas, o que deveria agora nos permitir avançar assim que for possível", disse a porta-voz comunitária Mina Andreeva na entrevista coletiva diária da CE.

A porta-voz disse estar "surpresa" pelas dúvidas que aparecem nos meios de comunicação sobre o avanço do processo de negociação, e lembrou que "as equipes das instituições estão em Atenas desde segunda-feira e as negociações estão em curso há um par de dias".

"Nosso chefe de missão está liderando as negociações", acrescentou.

A princípio, estava previsto que as equipes técnicas da CE, do Banco Central Europeu (BCE), do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) começassem na sexta-feira suas conversas em Atenas, com o objetivo de fechar um terceiro resgate antes de 20 de agosto, o que só aconteceu a partir de segunda-feira.

A CE diminuiu importância desse atraso que atribui a questões logísticas relacionadas, por exemplo, com o lugar no qual serão realizadas as reuniões, mas assegurou que não foram detectados "obstáculos inesperados".

Perguntada sobre se vê sentido em continuar com as negociações quando o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, está dizendo que o resgate é a receita equivocada e que lutará por dar marcha à ré, a porta-voz se limitou a lembrar que os dois primeiros pacotes de reformas estipulados com os líderes do euro já foram aprovados pelo parlamento heleno.

"Vimos os votos no parlamento grego que apoiou e, de fato, aprovou as reformas que foram estipuladas na cúpula do euro de 13 de julho, na qual também esteve o senhor Tsipras", ressaltou Andreeva.

"Foram contraídos compromissos que estão ocorrendo e o trabalho continua como estava previsto", acrescentou.

Economia