PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Assembleias sindicais de pilotos provocam cancelamentos em voos na Argentina

17/01/2019 15h44

Buenos Aires, 17 jan (EFE).- As assembleias convocadas por vários agrupamentos sindicais de pilotos nesta quinta-feira provocaram atrasos e cancelamentos em mais de 30 voos nos aeroportos de Buenos Aires, segundo fontes da União de Pilotos de Linhas Aéreas (UALA).

Por volta das 8h (horário local, 9h de Brasília) foram suspensas as assembleias convocadas pela UALA e pela Associação de Pilotos de Linhas Aéreas (APLA), e os pilotos retomaram sua atividade habitual, mas pelo menos 30 voos tiveram que ser reprogramados ou suspensos.

As assembleias foram convocadas após a decisão do governo de derrubar uma controversa resolução que "simplificava" os trâmites para que pilotos aéreos estrangeiros se estabeleçam no país e que tinha levado os sindicatos do setor a convocar uma greve de dois dias a partir desta quinta-feira, que finalmente foi cancelada.

Uma vez conhecida a decisão do governo, as associações de pilotos asseguraram que a situação "está solucionada por enquanto" e descartaram convocar novos protestos ou interrupções, segundo informaram à Agência Efe fontes da UALA.

No Aeroparque Jorge Newbery vários passageiros expressaram seu descontentamento devido às mudanças sofridas nos horários, e alguns, como Marcelo Marquetti, se mostraram especialmente críticos com a companhia Aerolíneas Argentinas, que operava grande parte dos voos cancelados.

"Esta companhia vem funcionando mal desde sempre. Eu gostaria que quebrasse de uma vez por todas e abram outra do zero que possa ser uma companhia séria", disse Marquetti enquanto esperava pelo seu voo para San Martín de los Andes, na província de Mendoza.

A mesma frustração era compartilhada por Gabriela Alexandre, que, além da espera, teve sua bagagem extraviada.

"Foi cancelado, passaram três horas dizendo que estava atrasado e foi cancelado. Agora estamos reprogramando com tanto azar que também perderam a mala... Não saí do país e já perderam a mala, tudo errado", declarou à Efe.

Os aeroportos da capital argentina retornaram à sua atividade habitual depois que os pilotos deixaram as assembleias e a previsão é que a maioria dos 96.000 passageiros que tinham programados voos entre quinta e sexta-feira, dias para os quais estava anunciada a greve, poderão embarcar em seus voos. EFE