PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Vale suspende pagamento de dividendos após tragédia e ações despencam

28/01/2019 12h09

São Paulo, 28 jan (EFE).- As ações da companhia Vale, a principal produtora de minério de ferro do mundo, despencaram 17,24% nesta segunda-feira na abertura da Bolsa de Valores de São Paulo depois da tragédia ocorrida em Brumadinho (MG), que provocou a morte de pelo menos 58 pessoas.

As ações da empresa começaram a operar normalmente com a abertura da Bolsa às 10h, mas deixaram de ser negociadas por alguns minutos devido à forte oscilação de seus papéis.

Por volta das 11h30, as ações ordinárias da gigante da mineração caíam 17,24%, depois que foi divulgada a notícia de que a companhia suspendeu o pagamento de dividendos e juros sobre a capital próprio (remuneração aos acionistas).

Em uma reunião de seu Conselho de Administração, a companhia também decidiu paralisar o programa de recompra de suas próprias ações e o pagamento de remuneração variável a seus executivos, informou a empresa em comunicado ao mercado.

No dia do desastre, na sexta-feira passada, a Bolsa de São Paulo estava fechada por conta de um feriado na capital paulista, mas as ações da companhia caíram cerca de 8% na Bolsa de Nova York, onde também é cotada.

Após o rompimento de uma barragem de rejeitos de minério em Brumadinho (MG), a Justiça determinou, em três processos diferentes, o bloqueio de R$ 11 bilhões das contas de Vale para ressarcir os familiares das vítimas, garantir recursos e atenuar os danos ambientais no local do desastre.

A empresa também recebeu duas multas: uma do Ibama de R$ 250 milhões e outra do governo de Minas Gerais de R$ 99 milhões.

A tragédia ocorrida ema sexta-feira é a segunda envolvendo a Vale em pouco mais de três anos.

Em 2015, uma barragem da mineradora Samarco, na qual a Vale tem 50% de participação, colapsou na cidade de Mariana, também em Minas Gerais, causando a morte de 19 pessoas e a maior tragédia ambiental do Brasil até o momento. EFE