IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Trump acerta venda de 100 aviões Boeing 737 para companhia aérea vietnamita

27/02/2019 05h59

Hanói, 27 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o mandatário do Vietnã, Nguyen Phu Trong, acertaram nesta quarta-feira a venda de 100 aviões Boeing 737-Max para a companhia aérea vietnamita VietJet, além de assinarem outros acordos econômicos no palácio presidencial de Hanói.

De acordo com informações de um integrante da comitiva americana, com base nos acordos assinados hoje por um valor de US$ 21 bilhões, a VietJet comprou também 215 motores fabricados por CFM e General Electric.

Além disso, a Bamboo Airways adquirirá 10 Boeings 787-9 e a estatal Vietnam Airlines fechou a compra de serviços no valor de US$ 100 milhões da Sabre Corporation.

"Estes acordos respaldarão mais de 83 mil empregos americanos e fornecerão uma maior segurança e confiabilidade aos viajantes vietnamitas internacionais", disse o funcionário americano, que pediu anonimato.

A assinatura aconteceu após a reunião entre Trump e Nguyen, durante a qual o presidente americano felicitou o Vietnã pelos seus bons números econômicos e destacou que "fizeram um trabalho incrível em muito pouco tempo".

O presidente saudou a redução do déficit comercial dos EUA com o Vietnã e recomendou que o país asiático assinasse mais acordos comerciais, lembrando que "os Estados Unidos possuem o melhor equipamento militar do mundo".

Trump, que chegou ontem a Hanói para sua cúpula com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, também colocou o Vietnã como exemplo para a futura prosperidade econômica de Pyongyang.

"Podemos transformar a Coreia do Norte em uma grande potência econômica", ressaltou.

Depois da assinatura dos acordos, Trump foi recebido na sede do governo vietnamita pelo primeiro-ministro, Nguyen Xuan Phuc, com quem compartilhou um almoço de trabalho antes de seu encontro com Kim.

A previsão é que a cúpula entre Trump e Kim tenha início hoje, às 18h30 (horário local, 8h30, de Brasília), com uma saudação entre os dois líderes no luxuoso hotel de estilo colonial francês Sofitel Legend Metropole, em Hanói. EFE

Mais Economia