PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

EUA tiveram mais 6,6 milhões de pessoas dando entrada no seguro-desemprego

Número não superou os 6, 8 milhões de pedidos feitos na semana passada - Gary Hershorn/Corbis via Getty Images
Número não superou os 6, 8 milhões de pedidos feitos na semana passada Imagem: Gary Hershorn/Corbis via Getty Images

em Washington

09/04/2020 13h49

O Departamento de Trabalho dos Estados Unidos informou hoje que 6,6 milhões de pessoas deram entrada no auxílio-desemprego na semana passada no país, o que eleva para cerca de 16 milhões os que fizeram a mesma solicitação nos últimos 21 dias.

O número divulgado hoje não chegou a superar o recorde histórico alcançado na semana anterior, que foi de 6,867 milhões de pedidos, mas superou a previsão de especialista, que calcularam que algo em torno de 5,25 milhões de postos de trabalho seriam fechados no período.

Os dados, no entanto, não refletem toda a realidade do emprego nos EUA, já que os autônomos e as pessoas empregadas informalmente, não podem dar entrada no benefício.

Na semana passada, o governo americano já havia divulgado um salto no índice de desemprego em março para 4,4%, contra 3,5% do mês anterior, devido ao forte impacto provocado pela pandemia da covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

O Escritório de Orçamento do Congresso, que tem viés não partidário, por sua vez, indicou que a taxa de desemprego no país pode chegar a 12% no fim do segundo trimestre desse ano e que a economia entrará em recessão.

Para tentar amenizar os efeitos da crise, os parlamentares aprovaram o maior pacote de estímulo fiscal da história, de mais de US$ 2 trilhões, cerca de R$ 10 trilhões, em que está incluída a ampliação da cobertura por desemprego, a transferência direta para famílias e fundos para pequenas e médias empresas.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi publicado na primeira versão do texto, o pacote de estímulo fiscal dos EUA foi de US$ 2 trilhões, e não de US$ 2 bilhões. O erro foi corrigido.

Economia