PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Espanha sofrerá recessão mais aguda da zona do euro em 2020, segundo FMI

13/10/2020 18h39

Washington, 13 out (EFE).- O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê uma queda de 8,3% no Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro neste ano, 1,9 ponto percentual acima do esperado em junho, e entre as principais economias desse conjunto, a Espanha aparece como a que teria a pior recessão, de 12,8%.

O FMI acredita, portanto, que o declínio da economia espanhola será maior do que o esperado pelo governo do país, que, em sua última revisão, calculou uma retração de 11,2%.

Depois da Espanha, segundo o FMI, aparecem com as piores projeções Itália (-10,6%), França (-9,8%) e Alemanha (-6%) e um ano no qual todos sofreram duros efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus.

Essas previsões fazem parte do relatório Perspectivas Econômicas Globais, apresentado pela instituição nesta terça-feira.

Até 2021, o FMI espera uma recuperação moderada na zona do euro, de 5,2%, oito décimos percentuais abaixo do estimado em junho.

A Espanha, segundo a projeção, será o país com maior crescimento em 2021, de 7,2%, nove décimos a mais que o calculado em junho, seguida por França (6%), Itália (5,2%) e Alemanha (4,2%).

A taxa média de desemprego na zona do euro será de 8,9% até o final de 2020 e de 9,1% no próximo ano, embora no caso da Espanha seja quase o dobro dessa taxa, permanecendo em 16,8% até o final de 2021, segundo os cálculos do FMI (o governo espanhol prevê 17,1% para 2020 e 16,9% no ano seguinte).