PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

McDonald's anuncia saída do mercado da Rússia após 30 anos de atividades

16/05/2022 16h56

Washington, 16 mai (EFE).- O grupo McDonalds divulgou comunicado nesta segunda-feira, informando que abandonará o mercado da Rússia e que iniciou um processo para vender a rede de lanchonetes em todo o país, após 30 anos de atividades.

"A crise humanitária provocada pela guerra na Ucrânia, e o entorno imprevisível para operar ali, levaram o McDonald's a concluir que o negócio na Rússia não é sustentável, nem é consistente com os valores do McDonald's", aponta nota que foi distribuída para a imprensa americana e internacional.

O diretor-executivo do grupo, Chris Kempczinski, indicou em nota que estava orgulhoso dos mais de 60 mil funcionários no território russo e que a decisão tomada foi "extremamente difícil".

"Nosso compromisso com nossos valores significa que já não podemos nos manter ali", afirmou o representante do McDonald's.

A saída do grupo tem um grande peso simbólico e econômico, porque a rede de 'fast food' foi uma das primeiras marcas ocidentais que se estabeleceu em Moscou, em 1990, pouco antes da desintegração da União Soviética.

A presença do McDonald's na Rússia acabou se tornando um símbolo do fim da Guerra Fria.

Em 8 de março, ainda antes do início oficial da chamada "operação militar especial" autorizada pelo presidente russo, Vladimir Putin, o grupo havia anunciado a paralisação temporária das atividades na Rússia, com o fechamento de cerca de 850 lanchonetes.

Desde quele momento, contudo, o McDonald's seguiu pagando os salários dos funcionários na Rússia.

Hoje, o grupo indicou que seguirá realizando os pagamentos até que seja fechada a transação do negócio e que pretende que sejam mantidos os empregos "com qualquer comprador em potencial.

"Esse é um assunto complicado, que não tem precedentes, e que tem profundas consequências", disse Kempczinski, em mensagem enviada à franquias, funcionários e fornecedores, que foi obtida pelo jornal "The New York Times". EFE

int-lab/bg