PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

BC da Argentina anuncia medidas para "melhorar funcionamento do mercado"

Gabriel Bueno da Costa

São Paulo

18/06/2018 12h08

O Banco Central da Argentina anunciou medidas nesta segunda-feira para "melhorar o funcionamento do mercado". A instituição está agora sob o comando de Luis Caputo, nomeado na quinta-feira e que ocupava até então o comando do Ministério das Finanças do governo do presidente Mauricio Macri.

O BC anunciou que o compulsório bancário terá um alta escalonada de 5 pontos porcentuais para os depósitos à vista e à prazo, "com certas exceções". "O efeito total da medida resultará na absorção de liquidez da ordem dos 100 bilhões de pesos no sistema financeiro", diz a nota. Nesse caso, a elevação de 3 pontos ocorrerá em 21 de junho e a outra alta, de 2 pontos, está prevista para 18 de julho.

Outra medida é uma redução no limite da posição global líquida positiva em moeda estrangeira computada em saldos diários de 10% para 5% da responsabilidade patrimonial computável das entidades. O BC ainda disse que, com o objetivo de dar dinamismo ao mercado secundário de Letras do Tesouro Nacional em Moeda Estrangeira (Letes em dólares), serão flexibilizados requisitos para a compra dessas Letes no mercado secundário; as instituições poderão aumentar sua posição global líquida em moeda estrangeira acima de 5% e até 30% de sua responsabilidade patrimonial computável (RPC, o capital regulatório total, composto pelo patrimônio básico líquido e o patrimônio líquido complementar), contanto que o excesso se integre com essas Letes em dólares.

Além disso, o BC argentino anunciou um novo mecanismo para realizar operações de compra e/ou venda de moeda estrangeira, mediante leilões. Foram anunciadas condições para evitar "claros sinais de disfuncionalidade em termos de diferencial de preços (compra/venda), volume ou volatilidade". Entre as medidas estão uma convocação formal para cada leilão, comunicada pelo BC com ao menos 30 minutos de antecedência; cada leilão estará aberto durante 15 minutos; o montante total da licitação será estabelecido a cada vez pelo BC; os participantes poderão demonstrar interesse com até três pedidos a cada vez, com montante mínimo de US$ 1 milhão por vez e elevações de US$ 1 milhão, entre outros aspectos detalhados na nota oficial disponível no site do BC argentino.

Às 12h04 (de Brasília), o dólar recuava a 27,750 pesos argentinos, após o anúncio das medidas.