IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

BCE mantém juros inalterados e indica possíveis cortes no futuro

Nicholas Shores e Victor Rezende

São Paulo

25/07/2019 12h29

O Banco Central Europeu (BCE) alterou nesta quinta-feira o seu guidance, que agora passa a prever que as taxas de juros "permaneçam nos seus níveis presentes ou mais baixos ao menos até o fim do primeiro semestre de 2020", abrindo espaço para um corte de juros mais à frente. A taxa básica de juros, a de refinanciamento, e a de depósito foram mantidas em 0% e -0,40%, respectivamente.

Uma outra mudança significativa foi a informação de que o conselho do BCE incumbiu comitês do sistema do euro de examinar opções como o tamanho e a composição de potenciais novas compras líquidas de ativos sob o programa de afrouxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês), além de "reforçar" o guidance e desenhar um sistema de camadas para a remuneração de reservas de bancos depositadas junto à autoridade monetária.

Em seu comunicado sobre a decisão de política monetária, que será comentada pelo presidente da instituição, Mario Draghi, em entrevista coletiva a partir das 9h30 (de Brasília), o BCE informou ainda que o conselho ressaltou "a necessidade por uma política monetária altamente acomodatícia por um período prolongado de tempo, à medida que as taxas de inflação, tanto real quanto projetada, têm estado persistentemente abaixo de níveis que estejam em linha com a sua meta", que é classificada como "perto, mas abaixo de" 2%.

"Se a perspectiva de médio prazo para a inflação continuar a ficar abaixo da sua meta, o conselho está determinado a agir, em linha com o seu compromisso com a simetria da meta de inflação. Ele, portanto, está pronto para ajustar todos os seus instrumentos, como for apropriado, para assegurar que a inflação se mova em direção a sua meta de uma maneira sustentada", aponta o BCE.

Economia