IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Caixa prevê impacto anual de R$ 300 mi com pagamento de FGTS e PIS-Pasep

Aline Bronzati

São Paulo

02/08/2019 13h59

O presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães afirmou que o pagamento dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e Fundo PIS/Pasep gerará um impacto de cerca de R$ 300 milhões em receitas anuais que o banco teria com a gestão dos mais de R$ 30 bilhões que serão liberados com a medida.

O banco recebe 1% pela administração dos fundos. "A economia melhorando é o que ajuda o resultado da Caixa. Esse resultado de R$ 300 milhões é muito pequeno perto do lucro do banco", disse ele, em entrevista à rádio CBN nesta sexta-feira (2).

Segundo ele, os 106 milhões de brasileiros - 96 milhões do FGTS e 10,4 milhões do PIS - que terão acesso aos saques do FGTS e PIS-Pasep poderão não só consumir como também quitar dívidas, o que contribui para a melhora da economia.

"É isso que importa", resumiu Guimarães, acrescentando que a própria Caixa terá um leque de produtos para oferecer aos cidadãos.

O cronograma detalhado do pagamento do FGTS será feito, segundo ele, na segunda-feira. No entanto, o presidente da Caixa garantiu que o banco já está preparado em termos de infraestrutura para fazer os pagamentos, cujo volume é quatro vezes maior que a iniciativa anterior. Informou ainda que as agências abrirão aos sábados e que ele mesmo participará in loco para acompanhar o atendimento.

Guimarães informou ainda que a Caixa fará de imediato o depósito dos recursos do FGTS e do PIS para quem já for correntista do banco. Os que não quiserem poderão solicitar o estorno. Do contrário, conforme ele, o custo operacional seria muito maior para a instituição.

A Caixa também deve lançar em breve, segundo Guimarães, uma campanha de publicidade para orientar os brasileiros tanto sobre os saques do FGTS quanto do PIS.

Trabalhou com carteira em 2018? Abono do PIS paga até R$ 998

UOL Notícias

Economia