PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Datagro reduz previsão de exportação do complexo soja para 91,9 mi de toneladas

Leticia Pakulski

22/04/2020 16h14

A consultoria Datagro revisou para baixo a previsão de exportação do complexo soja do Brasil em 2020, de 93,60 milhões de toneladas para 91,90 milhões de toneladas. O novo número ainda seria maior do que o volume embarcado em 2019 (91,78 milhões de toneladas), mas abaixo do recorde de 101,35 milhões de toneladas de 2018.

Em nota, a Datagro informou ter reduzido a previsão de venda externa de soja em grão, de 76 milhões para 74,30 milhões de toneladas, mas mantido as projeções de exportação de farelo, em 16,7 milhões de toneladas, e de óleo, em 900 mil toneladas. Ainda assim, a quantidade exportada de soja em grão deve ser 0,3% superior à de 2019, e a de farelo, 0,2% maior, enquanto a venda externa de óleo deve cair 13,5%.

Segundo a Datagro, o corte realizado na projeção de exportações de soja está relacionado à revisão feita anteriormente na estimativa de produção do Brasil em 2019/20, que caiu para 121,92 milhões de toneladas ante 123,62 milhões de toneladas do levantamento anterior. Ainda assim, a produção deve superar em 2% a colheita da safra anterior (119,19 milhões de toneladas).

Conforme a consultoria, a elevação dos embarques nesta temporada ante 2019 acompanha as projeções preliminares para a safra brasileira, com a colheita virtualmente concluída, além de taxas positivas de incremento do consumo mundial, apesar da crise gerada pela covid-19, e as perdas severas da safra 2019/20 nos Estados Unidos. "Um importante fator de incertezas vem com o impacto da peste suína africana (PSA) sobre a demanda chinesa de soja e milho. Por conta do abate de boa parte do rebanho suíno, os chineses seguem aumentando a importação de carnes para atender a sua demanda, gerando demanda adicional de farelo e milho nos países fornecedores. Que é o caso do Brasil", disse o coordenador de grãos da Datagro, Flávio Roberto de França Junior, na nota.

Outros fatores de atenção apontados por França Junior são o impacto na economia global gerado pela crise da covid-19 e sua influência incerta na demanda por alimentos, o clima com a formação de um El Niño de fraca intensidade, parecido com as características de neutralidade, além da guerra comercial entre China e EUA, ainda com solução final em aberto.

A previsão de receita com a exportação do complexo é estimada em US$ 31,97 bilhões neste ano, 2,0% inferior aos US$ US$ 32,63 bilhões do fechamento de 2019. Segundo a Datagro, a análise leva em conta estimativas de preços médios menores para alguns produtos. "Essa projeção de cenário de preços mistos para o mercado neste novo ano, mas com predomínio de quedas, está associada à retração parcial na demanda por conta da crise trazida pelo novo coronavírus", disse o representante.