PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Mudança na Pnad vai afetar cálculos de inflação e PIB, diz IBGE

O órgão diz acreditar que reduzirá assim os problemas de vieses na coleta, agravados pela interrupção de entrevistas presenciais durante a pandemia de covid-19 - Getty Images
O órgão diz acreditar que reduzirá assim os problemas de vieses na coleta, agravados pela interrupção de entrevistas presenciais durante a pandemia de covid-19 Imagem: Getty Images

Daniela Amorim

No Rio

22/10/2021 07h45

Uma mudança no cálculo de indicadores do mercado de trabalho vai afetar também o PIB (Produto Interno Bruto) e a inflação oficial do País, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O órgão estatístico divulgará em 30 de novembro a Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua) sob uma nova ponderação, que ajusta os pesos das informações coletadas conforme idade e sexo de informantes.

Os dados serão referentes ao trimestre encerrado em setembro, mas toda a série histórica da pesquisa iniciada em 2012 será recalculada, conforme anunciado anteriormente pelo órgão. O IBGE ajustava os resultados da coleta da Pnad Contínua para o tamanho da população de cada unidade da federação. Agora, o instituto ajustará também as informações em relação à distribuição das pessoas por idade e sexo.

O órgão diz acreditar que reduzirá assim os problemas de vieses na coleta, agravados pela interrupção de entrevistas presenciais durante a pandemia de covid-19, que derrubou a taxa de aproveitamento da amostra. A coleta telefônica de dados sobre o mercado de trabalho no País aumentou a incidência de respostas de mulheres e idosos, que podem influenciar o desempenho da taxa de desemprego e do emprego formal, por exemplo.

"Conforme exposto anteriormente, o novo método de ponderação mitiga o viés de não resposta e cobertura, porém não os soluciona completamente. Assim, adicionalmente à mudança metodológica, a partir de 1º de julho de 2021, o IBGE passou a adotar medidas de flexibilização das atividades presenciais de coleta de pesquisa, buscando aumentar substancialmente o porcentual de entrevistas realizadas", ressaltou o IBGE, em nota técnica. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

PUBLICIDADE