PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Bolsonaro brinca sobre trocar Guedes, mas fala em 'casamento indissolúvel'

Presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ministro Paulo Guedes - Adriano Machado/Reuters
Presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ministro Paulo Guedes Imagem: Adriano Machado/Reuters

Lorenna Rodrigues e Lauriberto Pompeu

Em Brasília

25/02/2022 12h52Atualizada em 25/02/2022 13h49

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), fez uma brincadeira sobre trocar o ministro da Economia, Paulo Guedes, em um evento no lançamento do novo marco regulatório do Inmetro. Guedes falava ao microfone sobre a pressão que Bolsonaro fez para substituir o presidente do Inmetro no início no ano passado, por entender que a administração de então não estava resolvendo problemas de excesso de burocracia.

"Presidente está atento, se alguém distrair ele vai lá e cobra, se o sujeito não cumprir, ele troca o de cima e vai trocando", disse Guedes. "Até um dia chegar em você", respondeu Bolsonaro, em tom de brincadeira, fora do microfone.

Guedes e a plateia riram e o ministro respondeu em seguida. "Antes de chegar em mim, o secretário teve juízo e trocou o presidente do Inmetro."

No seu habitual modelo "morde e assopra", Bolsonaro, em sua fala, voltou a afirmar que, apesar das pressões, não haverá divórcio em seu "casamento" com Guedes.

"Meu casamento com o Paulo Guedes é indissolúvel, não existe divórcio", disse o presidente da República.

Bolsonaro cobra Petrobrás sobre valor da gasolina

Durante a cerimônia do novo marco regulatório do Inmetro, o presidente Jair Bolsonaro também falou sobre o preço da gasolina e ressaltou que não pode interferir na Petrobras. Ressaltou, porém, que tem cobrado soluções da estatal.

"O presidente da Petrobras ganha mais de R$ 200 mil por mês, tem que trabalhar, apresentar solução", disse Bolsonaro. "Eu não tenho como interferir na Petrobras, mas cai no meu colo", ressaltou.

Bolsonaro também comentou que teve "problemas" para viajar quando era deputado federal, mas que "quebrou um galho com um policial federal".

Sem dar detalhes, o presidente também disse que "haverá excelente boa notícia hoje à tarde pela industrialização do nosso País" e que a imprensa "vai ficar curiosa". "Vamos voltar a industrializar o Brasil, primeiro passo é não atrapalhar o empresário", afirmou.

No evento, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que as novas regras do Inmetro vão descomplicar a vida das empresas que querem inovar.

A secretária de Produtividade do Ministério da Economia, Daniella Marques, acrescentou que o novo modelo do Inmetro vai contribuir para melhorar a agenda regulatória do País.

"O Brasil é a maior fronteira aberta hoje no mundo em turbulência", repetiu Guedes.

Em tom eleitoral, Bolsonaro criticou as gestões do PT no governo federal e lembrou financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a obras na Venezuela.

Outros anúncios feitos por Bolsonaro no evento foram uma nova forma de medir quantos litros entram no carro ao abastecer e a oficialização de um acordo entre a União e a cidade de São Paulo sobre o Campo de Marte. "Acertamos com Paulo Guedes uma pendenga que tem mais de 50 anos no Campo de Marte, será publicado nos próximos dias", declarou.