IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

IPCA para 2023 passa de 5,89% para 5,90%, diz Focus; para 2024 segue em 4,02%

Deterioração continuou, mas menos severa do que nas últimas semanas com as críticas do governo ao nível de juros e à autonomia do Banco Central. - iStock/Getty Images
Deterioração continuou, mas menos severa do que nas últimas semanas com as críticas do governo ao nível de juros e à autonomia do Banco Central. Imagem: iStock/Getty Images

Thaís Barcellos

Em Brasília

27/02/2023 09h12

As expectativas inflacionárias para 2023 e 2024 mostraram certa estabilização no Boletim Focus divulgado na manhã desta segunda-feira, 27.

Em prazos mais longos, a deterioração continuou, mas também menos severa do que nas últimas semanas, quando houve fortes críticas do governo federal ao nível de juros, à meta de inflação e à autonomia do Banco Central.

A projeção para o IPCA — índice oficial de inflação — deste ano subiu marginalmente, de 5,89% para 5,90%, a 11ª alta consecutiva. Um mês antes, a mediana era de 5,74%.

Para 2024, horizonte cada vez mais relevante para a estratégia de convergência à inflação do BC, a projeção continuou em 4,02%, de 3,90% há quatro semanas.

Considerando somente as 107 estimativas atualizadas nos últimos 5 dias úteis, a mediana para 2023 passou de 5,97% para 5,93%. Para 2024, variou de 4,10% para 4,05%, considerando 102 atualizações no período.

Atualmente, o foco da política monetária está nos anos de 2023 e, com maior peso, de 2024.

A mediana na Focus para a inflação oficial em 2023 está bem acima do teto da meta (4,75%), apontando para três anos de descumprimento do mandato principal do Banco Central, após 2021 e 2022.

Para 2024, a mediana está acima do centro da meta (3,00%), mas ainda dentro do intervalo que vai de 1,50% a 4,50%.

Já a mediana para o IPCA de 2025 subiu levemente, de 3,78% para 3,80%, de 3,50% há um mês.

A estimativa para o IPCA de 2026 avançou de 3,70% para 3,75%, contra 3,50% um mês antes. A meta para 2025 é de 3,00% (margem de 1,50% a 4,50%). Ainda não há objetivo definido para 2026.

No Comitê de Política Monetária (Copom) deste mês, o BC atualizou suas projeções para a inflação no cenário de referência com estimativas de 5,6% em 2023 e 3,4% para 2024.

O colegiado ainda inseriu um cenário alternativo, em que a Selic fica estável por todo o horizonte relevante. Nesse cenário, as projeções são de 5,5% para 2023 e 2,8% para 2024.

O Copom manteve a Selic em 13,75% ao ano pela quarta vez seguida.

Meses

Após o IPCA-15 de fevereiro (0,76%), os economistas do mercado financeiro mantiveram a projeção para a alta do índice de inflação oficial (IPCA) do mês no Focus. A mediana continuou em 0,78%, de 0,79% há um mês.

Para o IPCA de março, a estimativa seguiu em 0,65%, contra 0,58% um mês antes. Para abril, a previsão para o indicador avançou levemente, de 0,60% para 0,61%. Era de 0,55% há quatro semanas.

Já a expectativa para a inflação suavizada para os próximos 12 meses cedeu de 5,70% para 5,65%, de 5,63% há um mês.