IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Resultado do Tesouro em janeiro é o melhor da série para 1º ano de novo mandato

O presidente Lula e Fernando Hadddad, ministro da Fazenda, conseguiram boa marca econômica - 12.01.23 -  Sergio Lima / AFP
O presidente Lula e Fernando Hadddad, ministro da Fazenda, conseguiram boa marca econômica Imagem: 12.01.23 - Sergio Lima / AFP

Antonio Temóteo e Eduardo Rodrigues

Em Brasília

27/02/2023 15h25Atualizada em 27/02/2023 15h59

O Ministério da Fazenda informou hoje que o resultado do Tesouro Nacional de janeiro, que registrou um superávit de R$ 78,326 bilhões (contas do Governo Central), é o melhor já observado em toda a série histórica, corrigido pela inflação, para o primeiro ano de um novo mandato.

Segundo o Tesouro, o aumento real da receita líquida no mês decorre de uma alta de R$ 796,1 milhões nas receitas administradas, de R$ 3,9 bilhões na arrecadação líquida da Previdência e de R$ 2,0 bilhões nas receitas não administradas, parcialmente compensado pelo aumento de R$ 1,6 bilhão nas transferências por repartição de receita.

"Os principais destaques na comparação mensal são o aumento real de R$ 11,1 bilhões no Imposto de Renda Retido na Fonte, o aumento do recebimento de dividendos em R$ 6,3 bilhões, a redução na arrecadação real relativa à estimativa mensal (IRPJ/CSLL) e a redução na arrecadação relativa à exploração de recursos naturais", informou o Tesouro, no Sumário Executivo.

Por outro lado, o aumento nas despesas reais é explicado pelo crescimento de R$ 7 bilhões nas despesas obrigatórias.

As maiores altas foram registradas nos gastos com Bolsa Família e Auxílio Brasil (R$ 5,7 bilhões), com a elevação nos pagamentos de benefícios previdenciários (R$ 3,8 bilhões) e redução de R$ 3,5 bilhões nas despesas com créditos extraordinários.