Presidente do Fed de Cleveland diz que ainda não avaliou se defenderá mais aumento de juros

A presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Cleveland, Loretta Mester, afirmou nesta quinta-feira, 16, que ainda não decidiu se defenderá mais um aumento de juros no ciclo atual e que o Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) não está em posição para antecipar o que fará nos próximos encontros.

Em entrevista à CNBC, Mester explicou que busca mais evidências de que a inflação cai de maneira sustentada antes de considerar o processo concluído. Segundo ela, seria "preocupante" uma situação em que o índice de preços ficasse estagnado na faixa de 3%, em vez de retornar à meta de 2%.

A dirigente, que não vota nas reuniões deste ano do FOMC, assegurou que o Fed não pretende reagir a apenas um dado para definir os passos a serem tomados. No entendimento dela, a economia dos Estados Unidos deve continuar em desaceleração, sem entrar em um quadro de recessão. Dessa forma, ela espera um "pouso suave" - em que a inflação é controlada sem impacto drástico na atividade.

Questionada sobre cortes de juros no horizonte, Loretta Mester comentou que busca não agir antes da hora no processo de normalização.

De acordo com ela, os prêmios de prazos exerceram papel na alta recente dos juros dos Treasuries, que indica que a transmissão da política monetária funciona, no entendimento da dirigente.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes