PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Finanças pessoais

11 sinais de que você não lida muito bem com dinheiro

Getty Images
Imagem: Getty Images

17/09/2015 10h54Atualizada em 17/09/2015 18h46

SÃO PAULO – Todos cometemos erros com o dinheiro às vezes, até aqueles que são rigorosos no controle das finanças pessoais. No entanto, algumas pessoas são verdadeiros desastres quando o assunto é orçamento.

O site Business Insider listou 11 sinais que podem revelar se você sabe lidar bem ou não com dinheiro. Confira:

1- Você não sabe quanto ganha ou gasta

Se você não sabe quanto dinheiro entra e sai da sua conta bancária a cada mês, você está destinado à falência por conta de gastos excessivos e dívidas.

A matemática é simples: se você está gastando mais do que você ganha, você vai estar em dívida. E se você nem sequer sabe os números da equação, as chances de você ter uma surpresa desagradável são grandes.

Você não precisa anotar cada centavo, mas é bom ter uma ideia do quanto vai nos gastos principais, como carro, saúde, parcelas, entre outros.

Solução: tenha um registro de suas receitas e despesas. Pode ser em um aplicativo, planilha de Excel ou caneta e papel, o que importa é manter essa prática para garantir uma conta azul no final do mês.

Depois de saber quanto você ganha e quanto você gasta, algumas contas simples irão revelar o quanto você pode se dar ao luxo de poupar, investir ou gastar em supérfluos.

2- Você não paga a fatura integral do cartão

As dívidas, em grande parte, estão agrupadas em duas categorias: boas e más.

As dívidas boas são aquelas que te permitem investir no futuro, como a compra de uma casa ou empréstimos para pagar uma faculdade.

Já as dívidas más são aquelas com juros altos e que não te ajudam a construir uma riqueza. O principal exemplo são as dívidas de cartão de crédito. Dados da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) mostram que a taxa média de juros do cartão de crédito no Brasil é de 13,37% por mês, o equivalente a 350,79% ao ano.

Solução: a dívida do cartão de crédito deve ser uma prioridade, já que ela tem taxas muito altas e rapidamente fica fora de controle.

3- Não economizar para emergências

Ganhar somente para pagar as contas não é a melhor forma de agir com o orçamento. O ideal é ter um fundo de emergência para quando acontecem imprevistos, como gastos com saúde ou algum reparo no carro.

Além disso, se não sobra dinheiro para as emergências, significa que também não sobra dinheiro para os seus sonhos e objetivos, como uma viagem ou uma faculdade. 

Solução: existem duas opções para sobrar dinheiro: ganhar mais ou gastar menos. No primeiro caso, você pode pedir um aumento ou tentar um segundo emprego. Agora, se a opção for gastar menos, considere reduzir os maiores gastos e determine um valor máximo para gastar por dia.

4- Você se estressa quando o assunto é dinheiro

Se você fica nervoso ou se sente culpado com as contas no final do mês é porque não está sabendo organizar o seu orçamento.

Solução: se a origem do seu estresse é dinheiro, então você precisa tomar alguma atitude. Para começar, identifique qual é a sua preocupação: não conseguir pagar as contas, não conseguir quitar as dívidas, aposentadoria, casa própria. Depois disso, veja como reverter a situação, seja gastando menos, investindo parte do dinheiro ou pedindo um aumento.

5- Você foi pensar na aposentadoria muito tarde

O planejamento da aposentadoria é algo que não pode ficar para depois. Apesar disso, um estudo realizado pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) revela que 57% dos brasileiros não estão preparados financeiramente para a aposentadoria.

Solução: Se você ainda não começou a fazer um investimento para aposentadoria, comece. Os principais são os de previdência privada, mas você pode tentar outros investimentos com retorno mais rápido para juntar um pouco mais de dinheiro.

Mas se você realmente não se preparou para o futuro, comece a pensar em um emprego de meio período para poder cobrir as despesas principais quando estiver "aposentado".

6- Você não sabe como está seu nome

Estar com o nome sujo na praça, ou seja, endividado, pode causar muitos problemas, principalmente quando vai negociar com credores e fazer compras a prazo. Além disso, existem outras consequências negativas, como ter os seus bens penhorados e dificuldade de conseguir emprego.

Solução: Verifique os sites do SPC e da Serasa para ver qual é a sua situação e procure negociar diretamente com as instituições para qual está devendo, buscando novas formas de quitar a dívida.

7- Você não fala de dinheiro com o seu cônjuge

O dinheiro é um dos motivos que mais causam brigas nos relacionamentos, e muitos casais têm dificuldades de compartilhar o orçamento. Se você não sabe o quanto seu parceiro ganha e gasta, você não tem a imagem completa das finanças familiares.  A comunicação ineficaz sobre o dinheiro pode levar a tensão, gastos excessivos e dívidas. 

Solução: Abra o jogo com o seu parceiro. Se precisar, procure a ajuda de um planejador financeiro para conversar sobre finanças para casais.

8- Não incluir as crianças no planejamento financeiro

Muitos pais não sabem como incluir as crianças nas finanças da família ou acham que não é importante. No entanto, os pequenos, em geral, são os que demandam mais dinheiro na família, com vestuário, educação, saúde, atividades e brinquedos.

Além disso, as crianças imitam o que os pais fazem. Se você gasta com bobagens, quando elas tiverem o seu próprio dinheiro também consumirão sem analisar as contas.

Solução: comece a exigir pequenas responsabilidades financeiras dos seus filhos, como ajudar no supermercado ou no planejamento das próximas férias. Comprar um cofrinho e ensiná-los a poupar também é uma boa ideia.

9- Você tem medo de investir

Para quem está começando, investir parece um bicho de sete cabeças, com aqueles jargões, taxas, relatórios de mercado e a tão temida Bolsa de Valores. No entanto, investindo o seu dinheiro você verá que o potencial de crescimento é bem melhor que o da poupança tradicional.

Solução: mesmo o bilionário Warren Buffet recomenda uma abordagem conservadora. Na dúvida, procure um consultor de investimentos para orientar sobre qual melhor tipo de investimento para cada tipo de objetivo.

10- Você sente que tem algo a esconder

Se suas finanças não estão bem, provavelmente você não gosta quando o assunto dinheiro surge na roda de amigos ou quanto o gerente do seu banco te liga. Uma pesquisa do SPC Brasil mostra que 48% dos inadimplentes sente "vergonha por ter dívidas" e 44% tem "insegurança e o medo de não conseguirem quitar as pendências".

Solução: Ao invés de esconder a sua situação, você deveria expor para as pessoas mais próximas. Elas podem te ajudar a se recuperar. Caso não queira fazer isso, procure um educador financeiro para te orientar.

11- Você acha que aprender sobre dinheiro é chato

Se você acha que aprender sobre dinheiro é chato, as chances são de que você não está fazendo isso. Mas não existe maneira de melhorar se você não sabe o que precisa fazer.

Solução: A informação está lá fora, basta procurá-la em livros, artigos e sites, entre outros canais. 

Finanças pessoais