Bolsas

Câmbio

7 coisas que você pode aprender sobre dinheiro em menos de 10 minutos

SÃO PAULO – Dez minutos não vão lhe ensinar tudo o que você precisa saber para melhorar a administração de seu dinheiro e construir riquezas, mas este pode ser um ponto de partida para que você descubra os pontos fracos das suas finanças. O Business Insider fez uma seleção de alguns itens importantes que você pode aprender em menos de 10 minutos, dos quais o InfoMoney selecionou sete.

Destine um pouco de tempo para aprender no mínimo uma dessas coisas e você verá a diferença no seu planejamento financeiro.

1- Aprenda a calcular o seu patrimônio líquido

O patrimônio líquido é o valor de tudo o que você possui, desde bens materiais a investimentos, menos suas dívidas. Essa quantia, teoricamente, deveria ser conhecida por cada um, mas na realidade, muitos a ignoram.

Ter um saldo negativo no banco (quando a pessoa gasta mais do que ganha), serve normalmente como um alarme, avisando-a de que está na hora de fazer sérios ajustes no modo de administrar as finanças. Por outro lado, quando o saldo é positivo, ou seja, quando a pessoa ganha mais do que gasta, esta pode ser a confirmação de que o dinheiro é bem controlado e também serve como um estímulo para o planejamento de objetivos financeiros: uma viagem? Um carro novo? Mudar de apartamento? Ter um controle do quanto você possui pode lhe ajudar a criar perspectivas para o futuro.

Como é determinado o seu patrimônio? Sophia Bera, consultora financeira certificada, afirma que é preciso seguir a fórmula: seu patrimônio líquido = o que você tem – o que você deve

"Eu entro nas minhas contas pela internet e abro uma planilha em que insiro o saldo das minhas contas, investimentos e afins. Depois disso, eu adiciono meus gastos e subtraio esse valor de meus ativos para determinar meu patrimônio", diz. A sugestão da consultora é que o patrimônio seja revisado no mínimo duas vezes por ano.

2- Descubra para onde o seu dinheiro está indo

A maioria das pessoas sabe como o fluxo de entrada em sua conta funciona, mas e o que está saindo dela? Você sabe o quanto gasta comendo fora ou em assinaturas mensais? A chance é que seja mais do que você imagina.

Se você direcionar pequenas despesas diárias para uma previdência, por exemplo, você consegue acumular e aumentar o seu saldo ao longo do tempo, graças aos juros compostos. Para cortar esses gastos, descubra para onde o seu dinheiro está indo e se organize, seja por meio de aplicativos de controle de gastos ou até mesmo, por planilhas no seu computador. Dessa forma, a visualização de suas despesas será mais clara e você poderá julgar se os gastos condizem com suas necessidades ou se são supérfluos.

3- Mude o modo como você enxerga o dinheiro

Ao contrário do que muitos pensam, se tornar rico não depende necessariamente de ganhar um salário muito alto e tem mais a ver com o seu lado psicológico do que você imagina. Isso deve ser visto como algo bom, já que qualquer um consegue mudar seus pensamentos e hábitos.

Comece a pensar em investir bem seu dinheiro, para que ele se multiplique ao longo dos anos, e não em simplesmente em guardá-lo ou gastá-lo. Como diz o milionário Grant Cardone, o único motivo de se guardar dinheiro é para investi-lo. "Coloque o seu dinheiro de longo prazo em uma aplicação segura e que você não mexa. Nunca utilize essa aplicação, nem para uma emergência. Isso o forçará a aumentar sua renda".

4- Determine qual dívida você deve pagar primeiro

Primeiramente, é importante ter em mente que as dívidas não são todas iguais e que para começar a quitá-las, você precisa ranqueá-las por ordem de taxas de juros: das mais altas às mais baixas. Visto que a prioridade sempre será pagar o mínimo nas dívidas, priorize aquelas com juros maiores para que você pague menos ao longo dos anos.

Assim que a estas estiverem quitadas, siga para as próximas da lista, e assim por diante.

Uma outra estratégia é a "Bola de Neve das Dívidas", nome dado pelo especialista financeiro Dave Ramsey, que consiste no pagamento das pequenas dívidas primeiro, independentemente dos juros, de modo a juntar mais dinheiro para quitar o restante. A vantagem aqui está mais relacionada ao emocional do que ao financeiro, já que dá um alívio e um sentimento de "missão cumprida". Se a bola de neve funcionar para você, vá com tudo, mas tenha em mente que pagar os juros mais altos, primeiro, é mais barato a longo prazo.

5- Decida o tamanho do seu fundo de emergência

"Quanto devo ter em um fundo de emergência?" Não há uma reposta única e universal para essa pergunta. O valor que você precisa ter é muito pessoal e normalmente é medido após meses analisando despesas, ao invés de uma quantia fixa e pré-determinada.

Vários especialistas, incluindo o bilionário John Paul DeJoria, acreditam que é inteligente reservar seis meses de renda. Isso, porém, varia, uma vez que você pode precisar de mais ou menos dependendo da sua situação.

Para se ter uma ideia geral do valor que você precisa acumular, comece estipulando o quanto você gasta mensalmente e multiplique isso pelo número de meses que você acredite serem necessários para juntar dinheiro caso surja uma emergência.

6- Discuta sobre dinheiro com o seu cônjuge

Conversar sobre dinheiro com o parceiro é fundamental, até porque problemas financeiros são um dos grandes motivos que levam ao divórcio.  "Casais inteligentes conversam sobre dinheiro toda hora", diz o consultor financeiro David Bach. "Quando você trabalha em conjunto nas suas finanças, você pode ampliar os resultados. Quando isso não acontece, o mesmo pode ser dito para os erros que você irá sempre cometer", completa.

Como começar? Segundo Bach, é importante conhecer o histórico financeiro do seu cônjuge, pois você vai querer descobrir como ele se comporta com o dinheiro e o que ele considera como prioridade na vida. Isso lhe permitirá entender como ele toma medidas financeiras e consequentemente, como vocês dois irão se organizar.

O próximo passo é discutir sobre detalhes mais concretos, como por exemplo, quem será o responsável por pagar as contas, se vocês irão abrir uma conta conjunta e qual serão os seus objetivos financeiros como casal.

7- Aprenda a automatizar suas finanças

Mudar a sua mente em relação aos investimentos pode acontecer facilmente em alguns minutos, mas como você terá certeza de que esse novo objetivo será seguido firmemente? A resposta é simples: automatizando suas finanças. Fazendo isto, você está escolhendo antecipadamente o destino do seu dinheiro e mais, está o inserindo em um sistema que te dá a certeza de que ele chegará lá, evitando que você gaste ou utilize o dinheiro de outras formas que não o investimento.

Jim Wang, criador do site da Wallet Hacks, diz que essa é uma boa tática para quem sente preguiça ao organizar as finanças e sugere ainda, a criação de planilhas para facilitar a visualização dos ganhos e das despesas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos