Topo

BTG reduz preço-alvo da ADR da Petrobras para US$ 17 e mantém compra

13/08/2019 14h12

O BTG Pactual (SA:BPAC11) rebaixou nesta terça-feira o preço-alvo para os ADRs da Petrobras (SA:PETR4) para US$ 17,00, mantendo a recomendação de compra e acreditando no desempenho da companhia. Em relatório enviado a clientes, os analistas destacam que novo preço leva em consideração as estimativas do preço do barril do Brent. Em relação às ações preferenciais (PETR4), o preço-alvo foi reduzido para R$ 32.

As ações da companhia em Nova York são negociadas com ganhos de 1,42% a US$ 14,11.

A equipe do BTG (SA:BPAC11) reconhece que a Petrobras (SA:PETR4) perdeu um pouco de seu ímpeto, principalmente um cenário sem gatilhos, com menor evolução do preço do Brent e também uma menor produção. No entanto, eles acreditam que o papel tem uma boa história de valor e aparenta estar barata em EV/Ebitda na comparação com seus pares, principalmente diante da possibilidade de aumento na produção.

O documento foi elaborado após o encontro dos analistas do banco com a equipe de gerenciamento da estatal. Com isso, o BTG (SA:BPAC11) reviu algumas de suas estimativas, como a do Ebitda e do lucro por ação, que tiveram crescimento reduzido de 4,5% e 6,5% para 3,3% e 3,9% em 2019 e para 3,3% e 3,9% em 2020.

As novas estimativas refletem uma nova média de US$ 59 para o 2S19 e US$ 62 para 2020, em linha com o mercado, 4,6% menor que antes; e uma produção consolidada média de 2,7MM boe/dia de 2,8MM boe /dia em 2019 e 2020. As novas estimativas de EBITDA são de -9% e -13% contra o consenso de 2019 e 2020, embora não esteja claro quanto da queda do Brent já foi incorporada pelo mercado.

Economia