PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

FOCUS: Mercado eleva aposta de alta do PIB em 2019 e de Selic a 4,5% em 2020

25/11/2019 08h56

Os economistas estão tornando-se paulatinamente otimistas com o crescimento da economia brasileira para 2019 e 2020. O Boletim Focus divulgado na manhã desta segunda-feira trouxe novo aumento da projeções de alta do Produto Interno Bruto (PIB) neste e no próximo ano, de acordo com economistas consultados pelo Banco Central, além de recuar na aposta de mínima da taxa Selic a 4,25% para o ano que vem.

As apostas de crescimento do PIB de 2019 para esta semana é 0,99%, contra 0,92% estimado na semana passada. Há 4 semanas, os economistas apostavam que a economia brasileira iria crescer 0,91%. Para 2020, a estimativa foi de 2,17% para 2,20%, terceira semana seguida de alta nesta projeção.

A alta paulatina nas projeções de crescimento levou a uma estimativa maior de inflação para este ano. O IPCA deve encerrar 2019 a 3,46% ante os 3,33% na semana passada, ainda abaixo do centro da meta de 4,25% e dentro da margem de tolerância de 1,5 ponto percentual. Há quatro semanas, o mercado projetava alta de 3,29% no índice de preços.

No radar, a alta do preço de proteína animal devido ao maior apetite chinês a carnes de todos os tipos após a peste suína africana dizimar metade do rebanho de porcos do país. O preço da arroba do boi gordo na Grande São Paulo atingiu a máxima histórica neste mês.

Para 2020, os analistas também mantiveram as projeções de alta de 3,60% no IPCA, também abaixo do centro da meta de 4% estabelecido para o ano que vem, assim mantendo as estimativas da semana passada. Há quatro semanas, os economistas também projetavam alta de 3,60% no índice de preços para o ano que vem.

Já o dólar também sofreu uma revisão nas estimativas. A moeda americana deve fechar o ano a R$ 4,10, o que representa alta em relação à projeção da semana passada que era de R$ 4,00, interrompendo assim a estimativa que se mantinha estável há 7 semanas. Os economistas incorporaram nas projeções a valorização de 4,43% do dólar em relação ao real neste mês de novembro, considerando as sessões até a última sexta-feira (22). Para o encerramento de 2020, a aposta também prossegue em R$ 4,00, há cinco semanas neste patamar.

Com apostas de crescimento maior do PIB e dólar mais elevado, os analistas projetam uma Selic a 4,50% em 2019 e em 4,50% em 2020, apostando em mais um corte de 0,50 ponto percentual na reunião de política monetária de dezembro - e sinalizada pela autoridade monetária no último encontro. Já para 2020, o mercado reviu o posicionamento da semana anterior, que previa um corte de 25 pontos-base na primeira reunião do ano que vem, voltando à aposta anterior, de 4,50%. A revisão da Selic para 2020 é decorrente após fala do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, na semana passada de preocupação da autoridade monetária com o repasse da alta do dólar nos índices de preço.