PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Calendário Econômico - 5 principais notícias nesta semana

15/12/2019 10h26

A última semana completa de negociações de 2019 parece emocionante, com a montanha-russa comercial que ainda não terminou, apesar do anúncio de um acordo de "primeira fase" entre os EUA e a China. O processo do Brexit pode finalmente começar após uma vitória esmagadora do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e o anúncio da política do Banco da Inglaterra na quinta-feira pode dar aos investidores mais clareza sobre sua visão da economia. Declarações de funcionários do Federal Reserve e atualizações sobre a economia dos EUA e da zona do euro completam o calendário. Aqui está o que você precisa saber para começar sua semana.

1 - A atordoante oscilação nas negociações comerciais EUA-China continua

A China anunciou neste domingo que suspendeu tarifas adicionais sobre alguns produtos dos EUA que deveriam ser implementados em 15 de dezembro, depois que as duas maiores economias do mundo concordaram em um acordo comercial de "primeira fase" na sexta-feira.

O acordo, rumores e vazamentos sobre o que afetam os mercados globais há meses, reduz algumas tarifas dos EUA em troca do que as autoridades americanas disseram que seria um grande salto nas compras chinesas de produtos agrícolas americanos e outros bens.

Mas nenhum dos lados ofereceu detalhes específicos sobre a quantidade de produtos agrícolas dos EUA que Pequim concordou em comprar.

E enquanto o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que as negociações comerciais da "segunda fase" começariam imediatamente, Pequim deixou claro que a mudança para o próximo estágio das negociações comerciais dependeria da implementação da primeira fase.

2 - Brexit a neblina começa a desaparecer?

A ampla vitória do Partido Conservador do primeiro-ministro Boris Johnson abriu as portas para a Grã-Bretanha deixar a UE em 31 de janeiro. Esse processo pode começar após a abertura do parlamento pelo Estado com o discurso da rainha na quinta-feira. O discurso da rainha é usado para detalhar todas as contas que o governo planeja aprovar no próximo ano.

O ministro do Gabinete Britânico, Michael Gove, declarou no domingo que a principal prioridade do governo é deixar a União Europeia em 31 de janeiro e garantir um novo acordo comercial com a UE até o final do próximo ano.

Enquanto isso, na quinta-feira, o BoE terá sua primeira chance de dar sua opinião sobre o cenário pós-eleitoral. Os investidores estarão atentos a qualquer mudança de opinião sobre a inflação, a economia do Reino Unido e as perspectivas da taxa de juros para 2020.

3 - Autoridades do Fed farão declarações nesta semana

Os investidores aguardam as declarações de várias autoridades do Fed nos próximos dias, após o banco central dos EUA ter votado por unanimidade manter as taxas estáveis ??na semana passada e sinalizarem que podem permanecer em suspenso até 2020. O presidente do Fed, Jerome Powell, anunciou que a visão dos bancos sobre a economia permanece favorável.

O presidente do Fed de Dallas, Robert Kaplan, o presidente do Fed de Nova York, John Williams (NYSE:WMB) e Eric Rosengren, do Fed de Boston, devem se pronunciar na terça-feira, enquanto o presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, deve fazer o mesmo na quarta-feira.

4 - Dados econômicos dos EUA

O calendário econômico dos EUA inclui atualizações sobre produção industrial, habitação, sentimento do consumidor, renda e gastos pessoais e outro olhar sobre o PIB do terceiro trimestre.

"A narrativa provavelmente continuará sendo uma das manufaturas em recessão, como resultado das incertezas causadas pelas guerras comerciais em combinação com a fraca demanda global e um dólar forte, embora o retorno ao trabalho de 50.000 ou mais da General Motors (NYSE:GM) trabalhadores após a conclusão de sua recente ação de greve levará a uma recuperação na produção de automóveis ", disseram analistas do ING.

5 - A Alemanha pode evitar a recessão do quarto trimestre?

Primeiras pistas sobre se a maior economia da zona do euro, a Alemanha, pode evitar uma recessão no quarto trimestre, aparecerão na segunda-feira, quando forem divulgadas as leituras antecipadas do PMI para novembro.

As pesquisas de atividade econômica, um importante barômetro da saúde econômica, vêm depois que o índice de surpresa econômica do Citi mostrou dados econômicos da zona do euro superando as expectativas de consenso no ritmo mais rápido desde fevereiro de 2018.

A surpresa mais recente foi um aumento de 1,2% nas exportações alemãs em outubro, desafiando as previsões de uma contração.

Há grandes expectativas de que as exportações e o consumo privado, que ajudaram a Alemanha a evitar a recessão, se sustentem. Os dados do PMI do mês passado mostraram que a manufatura permaneceu em profunda contração em todo o bloco.

--A Reuters contribuiu para esta matéria