ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Wagner Canhedo, ex-proprietário da Vasp, é preso em Brasília

Evelson de Freitas/Folhapress/24.09.01
Wagner Canhedo, ex-proprietário da Vasp Imagem: Evelson de Freitas/Folhapress/24.09.01

Do UOL, em São Paulo

31/08/2013 10h13Atualizada em 31/08/2013 15h47

O empresário Wagner Canhedo, 77, ex-proprietário da Vasp, foi preso na manhã deste sábado (31) em Brasília. A prisão foi determinada pela Justiça de Santa Catarina e o motivo da prisão foi sonegação de impostos.

De acordo com o delegado Sérgio Henrique de Araújo Moraes, que interinamente está no comando da Delegacia de Captura e Polícia Interestadual, Canhedo foi condenado a quatro anos, cinco meses e dez dias de prisão.

O regime de prisão é semiaberto. Segundo o delegado, o empresário foi preso no início da manhã em casa, em Brasília. Inicialmente, ele ficará na carceragem da delegacia e depois será transferido para o Centro de Progressão Penitenciária. 

Por não ter curso universitário, Canhedo deverá dividir a cela com outros presidiários. 

O empresário assumiu em 1990 o controle acionário da Vasp (Viação Aérea São Paulo), adquirido do governo paulista por um lance mínimo (US$ 44 milhões), em leilão na Bovespa. A empresa teve falência decretada pela Justiça paulista em 2008. Em junho deste ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou  a falência da Vasp, por considerar que não havia como continuar com o processo de recuperação judicial. Atualmente, a família Canhedo controla empresas de ônibus em Brasília.

Nascido na cidade de Potirendaba (a 443 km a noroeste da capital paulista), na região de São José do Rio Preto (interior de SP),  em 20 de janeiro de 1936, Canhedo começou sua vida de empresário na área de transporte rodoviário de cargas. Ele não chegou a completar o ensino superior.

Com uma pequena frota de caminhões, ele transportava a madeira utilizada pelas construtoras para a construção da cidade de Brasília. Nos anos 60, virou piloto e comprou sua primeira aeronave, um Cessna 210.

Fundou também a Viação Planalto, com mil ônibus, uma concessionária Scania e a transportadora Wadel. Depois, abriu a Condor e Lotáxi e a Brasília Táxi Aéreo, para atuar no setor de coletivos urbanos.(Com Agência Brasil)

Mais Economia