Bolsas

Câmbio

Estas 7 dicas vão te ajudar a comprar passagens aéreas mais baratas

Aiana Freitas

Colaboração para o UOL, em São Paulo

O dólar alto está fazendo muita gente rever os planos que tinha de viajar para o exterior. Mas algumas estratégias podem ajudar a achar preços interessantes na internet.

Há poucos dias, por exemplo, era possível encontrar passagens para Miami, Orlando e Washington, nos Estados Unidos, por menos de R$ 1.200 (ida e volta, sem taxas) em companhias aéreas nacionais e internacionais.

Encontrar preços assim depende de fatores como a antecedência da compra (que não deve ser tão grande), o dia da viagem (partir no meio da semana costuma ser mais barato) e, claro, o destino. Confira algumas dicas abaixo.

1. Antecedência
iStock

Comprar com antecedência não é apenas um conselho batido: é verdadeiro. Isso não quer dizer que você deve fazer a compra seis meses antes de viajar. "Os preços começam a cair cerca de três meses antes da data de embarque", afirma Talita Ribeiro, diretora de comunicação do site de busca de passagens Voopter.

Paulo Kakinoff, CEO da companhia aérea Gol, confirma: "Você encontra tarifas muito atraentes até 90 dias antes do voo. É quando os preços estão melhores".

2. Temporada
Shutterstock

Janeiro, julho e dezembro são considerados meses de alta temporada, além dos feriados. Nos Estados Unidos e na Europa, agosto também é alta estação, por causa das férias de verão. Muita gente só consegue viajar nessas épocas, e é mais difícil encontrar promoções. Para quem tem a opção de tirar férias em outros períodos, a situação é diferente.

Uma pesquisa do comparador Voopter mostra que, no ano passado, os meses que mais tiveram promoções de passagens aéreas nacionais foram março, maio e setembro. Houve voos ida e volta por R$ 62. Já para os destinos internacionais, o melhor mês foi maio, com vários voos por menos de R$ 1.000.

3. Dia
iStock

O dia do embarque também pode fazer diferença no preço das passagens, pelo menos quando a viagem é nacional. Segundo o site Melhores Destinos, terças, quartas e quintas-feiras são campeãs de preços baixos para voos dentro do Brasil.

Para voos internacionais, segundo o site, depende muito de empresa para empresa. Depois de um tempo de pesquisa, porém, é possível descobrir o dia da semana em que determinada companhia costuma cobrar menos.

4. Destino
Divulgação

A flexibilidade é uma aliada do preço baixo não só quando se fala no mês e no dia da viagem, mas até no destino. Uma pesquisa do comparador Voopter mostra que, em 2015, Montevidéu, no Uruguai, foi o destino da América do Sul com a tarifa mais barata, a partir de R$ 281 (ida e volta, sem as taxas). A cidade se mostrou uma boa alternativa, por exemplo, a Buenos Aires, na Argentina.

A sugestão do Voopter é que quem quer viajar para a praia em 2016 fique atento às promoções para Aruba, Curaçao, Panamá e outros destinos do Caribe. Segundo o site, neste ano já foi possível encontrar passagens de ida e volta, sem taxas, a partir de R$ 735.

5. Nacional
Reprodução/Ecoviagem

Companhias aéreas nacionais costumam anunciar, a cada 15 dias, promoções que têm início nas sextas-feiras à noite e terminam na manhã das segundas. "Pelos últimos quatro anos, essa tem sido a regra. Começou com a Gol, e as outras empresas seguiram", diz Denis Carvalho, editor do Melhores Destinos.

Geralmente, as ofertas são para voos com destino a grandes capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba. Ainda assim, costumam valer a pena: há passagens de ida e volta por menos de R$ 200.

Na última sexta (22), por exemplo, a Gol anunciou a venda de passagens de volta por R$ 79,90 em voos diretos. A promoção, segundo a empresa, valia para todos os voos nacionais, mas a quantidade de assentos era limitada.

6. Sites
iStock

A busca por passagens aéreas pode ser feita por vários caminhos diferentes: diretamente no site das empresas, em sites que comparam preços, como Skyscanner, Voopter, Mundi, Kayak e Orbitz, e em agências de viagem virtuais, como Decolar, Submarino ou CVC Online. Cada modelo tem vantagens e desvantagens.

Pesquisar nos sites das companhias aéreas é interessante porque você terá a certeza de que a informação está atualizada; mas terá de fazer várias pesquisas para poder comparar o preço de uma empresa com o da outra. As agências online oferecem a possibilidade de você comparar preços de empresas diferentes, mas costumam cobrar tarifas pelo serviço, alerta Denis Carvalho, do Melhores Destinos.

Nos comparadores de preço, a variedade de informações é grande e o serviço, gratuito para o usuário. Mas, como não é possível fazer a compra diretamente nesses sites, pode acontecer de você clicar na oferta e, quando for direcionado para o site da empresa aérea, o preço, que pode ser alterado minuto a minuto, já ter mudado.

7. Alertas
iStock

Os sites que comparam preços de passagens permitem que você avalie uma grande quantidade de companhias aéreas e agências de viagem. Além disso, têm ferramentas que podem ajudar na busca.

No Voopter, é possível cadastrar a rota, o preço máximo e a época da viagem. O comparador avisa, por e-mail, assim que achar uma passagem com essas características. No Skyscanner, o usuário informa quando e para onde quer viajar e, sempre que o preço da passagem para aquele destino mudar (aumentar ou baixar), ele recebe um e-mail.

O Melhores Destinos não faz comparação de preços, mas publica notícias sobre promoções. Quem se cadastra pode receber essas promoções por e-mail ou por meio de alertas no aplicativo do celular.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos