BC: 'Prévia' do PIB cai 0,36%, na 15ª queda seguida; em um ano, tomba 6,64%

Do UOL, em São Paulo

O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma "prévia" do PIB (Produto Interno Bruto), caiu 0,36% em março na comparação com fevereiro, na 15ª queda seguida. A comparação é feita já descontando as diferenças sazonais entre os meses de fevereiro e março.

Assim, o primeiro trimestre termina com queda de 1,44% do IBC-Br, na comparação com o trimestre anterior. 

Na comparação com março de 2015, o indicador registrou tombo de 6,31%; se forem descontadas as diferenças sazonais de um ano para o outro, o tombo é ainda maior: de 6,64%.

As informações foram divulgadas pelo Banco Central (BC) nesta sexta-feira (13).

O desempenho foi pior que o esperado por analistas consultados pela agência de notícias Reuters, que previam queda de 0,1% em relação a fevereiro.

No acumulado de 12 meses até março, o índice aponta queda de 5,26% na atividade econômica (-5,11% se considerados os efeitos sazonais).

A expectativa do mercado é de que, com a mudança de governo, a confiança dos investidores possa melhorar, impulsionando a economia.

Na véspera, Michel Temer assumiu interinamente a Presidência da República, após o Senado decidir dar andamento ao processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, afastando-a por até 180 dias.

IBC-Br

O indicador do BC é visto pelo mercado como uma antecipação do resultado do PIB. Ele é divulgado mensalmente pelo Banco Central, enquanto o PIB é divulgado a cada três meses pelo IBGE.

O IBC-Br serve de base para investidores e empresas adotarem medidas de curto prazo. Porém, não necessariamente reflete o resultado anual do PIB e, em algumas vezes, distancia-se bastante.

O indicador do BC leva em conta a trajetória das variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos setores da economia (agropecuária, indústria e serviços).

A estimativa do IBC-Br incorpora a produção estimada para os três setores, acrescida dos impostos sobre produtos. O PIB calculado pelo IBGE, por sua vez, é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante certo período.

PIB: pior recessão em 25 anos

A economia brasileira fechou o ano de 2015 em queda de 3,8% em 2015, de acordo com os dados do PIB divulgados pelo IBGE.

Foi o pior resultado desde que a atual pesquisa começou a ser feita, em 1996.

Se forem considerados os dados anteriores do PIB, que começam em 1948, foi o pior resultado em 25 anos, desde 1990.

(Com Reuters)

Temer promete manter Bolsa Família e fortalecer Lava Jato

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos