Bolsas

Câmbio

Após serem vilões, feijão e tomate viram mocinhos e fazem inflação recuar

Do UOL, em São Paulo

Eles foram vilões da inflação, mas agora viraram e ajudaram a desacelerar os preços. Feijão e tomate foram os alimentos que tiveram as maiores reduções de preço em novembro, segundo dados do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) divulgados nesta sexta-feira (9) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em julho, o feijão chegou a subir 41,78%, e gerou memes nas redes sociais. No mês passado, o produto registrou queda de 17,52%.  

O tomate, outro produto que já foi motivo de piada na internet no começo do ano por causa dos preços altos, ficou 15,15% mais barato em novembro. 

O grupo dos alimentos em geral teve queda de 0,2% nos preços, segundo o IBGE. 

Menor índice para novembro em 18 anos

A inflação oficial no Brasil fechou o mês de novembro em 0,18%, índice menor que o registrado em outubro, quando a alta dos preços havia sido de 0,26%. Este é o menor índice para os meses de novembro em 18 anos, desde 1998, quando havia tido queda de 0,12%.

Em novembro do ano passado, a inflação havia sido de 1,01%.

A alta dos preços acumulada no ano, de janeiro a novembro, é de 5,97%, bem abaixo dos 9,62% em igual período do ano anterior. Em 12 meses, a inflação é de 6,99%. 

O resultado ainda está acima do limite máximo da meta do governo. O objetivo é manter a inflação em 4,5% ao ano, mas com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos, ou seja, podendo oscilar de 2,5% a 6,5%.

Em 2015, a inflação foi de 10,67%

(Com Reuters)

Entenda o que é a inflação e como o IPCA é medido

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos