PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Com dívida de R$ 392,3 milhões, dona da Sufresh pede recuperação judicial

Divulgação
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

21/06/2017 18h24

A Wow Nutrition, dona de marcas de bebidas como Sufresh e Feel Good, entrou com pedido de recuperação judicial para evitar falência e continuar as atividades da companhia. No requerimento, consta uma dívida de R$ 392,3 milhões. Se o pedido for aceito, a companhia terá 60 dias para apresentar uma proposta de plano para pagar seus credores.

O pedido de recuperação judicial foi feito na última quarta-feira (14). Segundo a empresa, no dia 1º de junho, a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo bloqueou a emissão de notas fiscais da Wow Nutrition, "impedindo o funcionamento da empresa". 

“Como sequência a esse bloqueio, não houve opção, senão pedir a recuperação judicial, de forma a prosseguir com as operações da Wow, mantendo os mercados abastecidos e preservando empregos diretos e indiretos em sua cadeia produtiva em São Paulo e em todo o Brasil”, diz o comunicado.

A operação do governo paulista, chamada de Doce Alerta foi deflagrada para apurar a movimentação fiscal da companhia com sede em Caçapava, interior de São Paulo. Segundo a Secretaria da Fazenda, a empresa possui dívidas de R$ 89 milhões em débitos declarados de ICMS.

Crescimento aumentou dívidas

A Wow Nutrition afirma que passou por um ciclo de crescimento acelerado até 2014, período em que realizou grandes investimentos e, assim, aumentou seu nível de endividamento.

“Em 2015 e 2016, o mercado de bebidas como um todo sofreu forte queda de vendas, sendo que, no ano passado, a principal categoria para a empresa, composta pelos néctares de frutas, encolheu 27%”, diz o comunicado.

“A redução do volume de vendas, a elevação de custos causada por aumento de dólar e quebra de safras de frutas afetaram negativamente a geração de caixa da companhia. Esse cenário foi agravado pelo aumento expressivo da taxa de juros para patamares proibitivos, combinado ao ambiente restritivo de crédito”, informou.

(Com Estadão Conteúdo)