PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

"Momento não é adequado" para subir salários de parlamentares, diz ministro

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

13/12/2018 12h13

O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, afirmou nesta quinta-feira (13) que o "momento não é adequado" para igualar os salários de parlamentares ao de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). Deputados e senadores já se movimentam para elevar os salários de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil.

"Não cabe a mim tratar da decisão de outro poder. Mas, fiscalmente, entendo que o momento é não adequado", disse em encontro com jornalistas. O ministro também afirmou que o Brasil tem potencial para crescer, sem pressões inflacionárias, mas isso depende da continuidade do ajuste fiscal.

"Temos uma avenida para o crescimento, com precipícios dos dois lados. De um lado, está o buraco da Previdência e dos tributos. Do outro, a necessidade de reforma administrativa do setor público e da produtividade", disse. 

Recuperação

Apesar dos desafios, Colnago afirmou que o país está em trajetória de recuperação, com crescimento moderado. Nas contas dele, esse processo já garante uma alta do PIB (Produto Interno Bruto) de 0,42 ponto percentual em 2019 (conhecido como carrego estatístico). 

"O importante é dar continuidade e insistir na continuidade das agendas macro e microeconômicas. Temos uma fragilidade fiscal e estamos no quinto ano de déficit. Talvez, tenhamos mais alguns anos, mas precisamos de mudanças estruturais para mudar essa realidade", declarou. 

Colnago afirmou que o país precisa de reformas e ajustes macroeconômicos para voltar a crescer de maneira sustentável. Ele disse que com a perda do bônus demográfico, a força de trabalho precisa ser mais produtiva. 

"Não há alternativa para o país sem a continuidade e o aprofundamento da agenda de reformas estruturais e de gestão. Temos três cenários. O primeiro é de uma década perdida sem reformas. O segundo, com medidas estruturais, com crescimento de 2,5%. E outro, com medidas de produtividade em que cresceríamos 4%", declarou.