Topo

Reforma da Previdência


Idade mínima atinge a moça de classe média alta, e não o pobre, diz Guedes

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

2019-04-03T15:57:15

2019-04-03T18:09:31

03/04/2019 15h57Atualizada em 03/04/2019 18h09

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje que a criação de uma idade mínima para a aposentadoria atingirá, principalmente, os trabalhadores com salários mais altos, que hoje se aposentam aos 55 anos.

"A idade mínima atinge a moça de classe média alta, que fez concurso, nunca foi demitida e se aposentada aos 55 anos. O trabalhador que não se aposenta por tempo de contribuição já se aposenta por idade, aos 60 ou aos 65 anos", disse.

O ministro participa de audiência na Comissão de Constituição de Justiça da Câmara dos Deputados para falar sobre a reforma da Previdência. O encontro estava previsto para acontecer na semana passada, mas Guedes não compareceu.

Segundo Guedes, os trabalhadores que ganham até um salário mínimo vão continuar se aposentando por idade, aos 65 anos (homem) ou 62 (mulheres), com 20 anos de contribuição.

O ministro também afirmou que o regime de capitalização, proposto na reforma da Bolsonaro, cria apenas mais uma opção para o trabalhador. "O jovem poderá escolher se entra no regime antigo ou no de capitalização", disse.

Guedes foi interrompido por parlamentares que contestaram o ministro e disseram que a reforma vai tornar a capitalização o único regime no futuro.

Leia mais sobre a participação do ministro Paulo Guedes na comissão:

Entenda a proposta de reforma da Previdência em 10 pontos

UOL Notícias

Mais Reforma da Previdência